PUBLICIDADE
ARMAC
Açúcar: Mercado

São Martinho busca 'retirar gargalos' para expandir produção de açúcar


Agência Estado - 08 jun 2016 - 08:34

O diretor Financeiro e de Relações com Investidores do Grupo São Martinho, Felipe Vicchiato, afirmou nesta terça-feira, 7, que a empresa está buscando "retirar alguns gargalos" para conseguir aumentar a capacidade de produção de açúcar, hoje praticamente no limite. "A Usina Santa Cruz parece ser a que tem mais potencial para isso", informou em teleconferência com analistas e investidores.

De acordo com a executivo, a expectativa para as próximas temporadas é elevar a capacidade de produção de açúcar em mais 100 mil toneladas, "em detrimento do etanol". Na safra 2015/16, encerrada em março, a companhia produziu 1,23 milhão de toneladas de açúcar, estável na comparação anual.

Vicchiato afirmou também que "não vê espaço" para renovação da isenção de PIS/Cofins incidente sobre o etanol, que vence em dezembro deste ano. O crédito presumido, de R$ 0,12 por litro, foi aprovado em 2013. "Na prática, isso (a volta do tributo) representa de perda de produtividade na cadeia".



Perspectivas econômicas para o mercado de açúcar serão abordadas em um dos painéis do NovaCana Ethanol Conference 2016, que acontece nos dias 27 e 28 de junho. A inscrição para o evento pode ser feita aqui.



Ele comentou ainda que a empresa tem 1,3 milhão de toneladas de açúcar para fazer hedge na safra 2017/18 e que deve trabalhar, no atual ciclo, com 70% de cana própria e 30% de terceiros.

ATR menor reduziu potencial de produção de açúcar

Felipe Vicchiato também relatou que a queda de 9% no nível de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) durante a safra 2015/16 representou uma perda, por parte da companhia, de 250 mil toneladas em produção de açúcar ou 150 milhões de litros em fabricação de etanol. "São 3 kg (de ATR) por tonelada de cana perdidos", disse.

De acordo com o executivo, essa retração afetou o resultado da companhia, apesar da moagem 7% maior na temporada. Pelos cálculos da empresa com base nos preços realizados em 2015/16, tal queda no ATR representou uma geração de caixa R$ 175 milhões menor.

Pelo balanço divulgado na segunda-feira, 6, à noite pela empresa, na safra 2015/16, encerrada em março, o Grupo São Martinho processou 20,02 milhões de toneladas de matéria-prima (+7%), com produção de 1,23 milhão de toneladas de açúcar (-0,1%), 445 milhões de litros de anidro (+1,5%), 306 milhões de litros de hidratado (-13,3%) e 741 mil MWh de eletricidade (+2,9%). O mix no ano foi de 50% tanto para o alimento quanto para o biocombustível, e o ATR atingido totalizou 128,9 kg/t.

José Roberto Gomes


PUBLICIDADE FMC_VERIMARK_INTERNO FMC_VERIMARK_INTERNO

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x