PUBLICIDADE
boletim boletim
Açúcar: Mercado

Produção de açúcar dobra no Centro-Sul na primeira quinzena de maio


Valor Econômico - 29 mai 2013 - 08:57 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53

Mesmo diante de uma já anunciada safra "alcooleira", a produção de açúcar no Centro-Sul não decepcionou. Na primeira quinzena de maio, foram produzidas pelas usinas da região 2,06 milhões de toneladas da commodity, 100,89% acima da produção no mesmo período do ciclo passado. No acumulado da safra até 16 de maio, o volume produzido alcançou 3,76 milhões de toneladas, 139% de aumento em relação ao mesmo intervalo do ciclo passado, segundo dados da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica). No acumulado da mesma quinzena da safra 2011/12, as usinas do Centro-Sul haviam produzido 2,373 milhões de toneladas de açúcar. No mesmo intervalo de 2010/11, foram 4,422 milhões de toneladas.

O diretor-técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues, explicou que "não faz sentido" comparar a moagem deste ano com os números de 2012, pois a oferta de matéria-prima no ano passado era significativamente inferior ao volume esperado para esta safra.

O volume de cana processado pelas usinas da região totalizou na primeira quinzena de maio 39,85 milhões de toneladas, ante 20,88 milhões verificadas em igual período da safra 2012/13. No acumulado até 16 de maio, a moagem alcançou 81,11 milhões de toneladas de cana, 131,64% acima do verificado no mesmo intervalo de 2012. O volume é, no entanto,  13,41% inferior ao observado em igual período da safra 2010/11 (93,67 milhões de toneladas).

A produção de etanol na primeira quinzena de maio alcançou 1,64 bilhão de litros, um aumento de 112% em relação à mesma quinzena do ciclo passado. No acumulado da safra até 16 de maio, o volume cresceu 146%, para 3,248 bilhões de litros.

A Unica confirmou uma safra mais alcooleira com 56,47% do caldo da cana sendo direcionado para a produção de etanol na quinzena (ante 54,89% observados na mesma data da safra 2012/2013). O mix no acumulado da atual safra é de 58,31% da cana para a produção do biocombustível, ante 57,42% no último ano.

Segundo Rodrigues, "neste início de safra, a participação das unidades produtoras que só fazem etanol na moagem total se reduziu para 14% e isso mascarou um pouco a tendência de mix mais alcooleiro". Quando a análise é restrita apenas para as unidades que têm capacidade de produzir etanol e açúcar, fica ainda mais evidente o maior esforço para a produção de etanol, pois, na média, essas empresas reduziram a proporção de cana direcionada para açúcar em 2,5 pontos percentuais, explicou Rodrigues.

O executivo da Unica ainda esclarece que a maior proporção de cana direcionada para a produção de etanol foi limitada, porque várias empresas tiveram que atender compromissos de entrega de açúcar firmados no passado, restringindo uma eventual alteração no mix de produção.

As vendas de etanol pelas unidades produtoras da região Centro-Sul somaram 920,90 milhões de litros na primeira metade de maio, alta de 23,91% relativamente à mesma quinzena de 2012. Segundo o diretor técnico da Única, o consumo de etanol hidratado deve continuar crescendo nas próximas quinzenas. "Isso porque o bicombustível já é economicamente viável em relação à gasolina em boa parte do mercado consumidor", afirmou.

Fernanda Pressinott e Fabiana Batista


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x