PUBLICIDADE
ARMAC
Açúcar: Mercado

Oferta de açúcar na Índia suaviza déficit global para 1,1 milhão de toneladas, diz StoneX

Clima gera diferentes impactos entre os players produtores, mas produção indiana compensa as perdas ao redor do globo e atenua em 800 mil toneladas o déficit da temporada


StoneX - 09 mar 2022 - 10:05

A produção global de açúcar deve acumular aumento anual de 1,9% na temporada 2021/22 (outubro a setembro), para 187,3 milhões de toneladas, segundo nova projeção divulgada nesta quarta-feira, 9, pela StoneX. A oferta suaviza em 800 mil toneladas o déficit da temporada, indo para 1,1 milhão de toneladas.

“Apesar da menor produção prevista na China e na Tailândia, o aumento em 1,7 milhão de toneladas sobre a oferta indiana deve compensar tais perdas”, explicaram os analistas de inteligência de mercado do grupo, Marina Malzoni e Arthur Machado.

Ao final do ciclo 2021/22, a StoneX estima que os estoques se posicionem em 73,2 milhões de toneladas, acumulando retração anual de 1,5%, e resultando em uma relação estoque-uso de 38,9%.

A consultoria destaca que os cálculos consideram crescimento anual de 0,9% no consumo global, atingindo 188,4 milhões de toneladas.

StoneX saldo global açúcar

“O ambiente se mostra favorável para o aumento da procura em importantes players consumidores, com destaque para a China e o Sudoeste Asiático. Além disso, o apetite de compra em polos de refino deve seguir firme, dado que o Prêmio do Branco, utilizado como proxy da margem de refino, acumula ganhos significativos desde outubro de 2021, posicionando-se acima de US$ 100/t”, explica Malzoni.

Produção americana estável

No Centro-Sul brasileiro, a expectativa da StoneX de totalizar 31,4 milhões de toneladas no ciclo internacional de 2021/22 (outubro a setembro) foi mantida, volume que se posiciona 11,9% abaixo do observado na temporada passada.

Já para o Norte-Nordeste brasileiro, a StoneX acredita que a oferta seja próxima de 3 milhões de toneladas dado o desempenho recente (redução anual de 0,4%).

No México, a umidade deve continuar elevada em algumas localidades produtoras de cana – tendência que será avaliada nos próximos meses, a fim de estimar os impactos sobre o resultado do ciclo corrente. Por ora, as estimativas de produção foram mantidas pela consultoria em cerca de 6,1 milhões de toneladas de açúcar, representando um avanço anual de 6,9%.

Clima impacta a Ásia

As condições climáticas configuram um dos principais pontos de atenção ao redor do globo, segundo a StoneX, causando diferentes impactos sobre os players produtores. Enquanto na Índia o clima beneficia a produção de açúcar, na Tailândia as chuvas excessivas geram sinal de alerta. No primeiro país asiático mencionado, as precipitações regulares dos últimos meses, associadas à atratividade da cana e ganho de área, favoreceram a produção indiana.

De acordo com dados do Departamento de Meteorologia indiano (IMD, em inglês), no mês de fevereiro, o estado de Uttar Pradesh registrou chuvas dentro da normalidade, enquanto Karnataka e Maharashtra tiveram precipitações abaixo da média histórica – o que contribui com o andamento da colheita.

Os números citados pela consultoria apontam que 0,3 milímetros incidiram sobre Maharashtra e 0,1 mm foi registrado em Karnataka no último mês, volumes que se situam 92% e 98% abaixo da normalidade, respectivamente. Em Uttar Pradesh, por outro lado, 15,3 mm foram observados no estado (+3%).

A StoneX elevou sua expectativa de produção no país, na ordem de 5,4%, para 33,2 milhões de toneladas de açúcar (valor branco) na safra 2021/22 – volume que representa alta anual de 6,5% e que desconsidera o direcionamento de 3 milhões de toneladas para a destilação de etanol.
Já na Tailândia, a umidade excessiva tem prejudicado o andamento dos trabalhos de colheita. De acordo com o Departamento Meteorológico da Tailândia (TMD, em inglês), o maior volume de chuvas deve se estender ao longo dos próximos três meses nas regiões Central e Nordeste, principais centros canavieiros do país.

Diante dos impactos observados até então, a StoneX avalia que o país tenha potencial de produzir 9,9 milhões de toneladas em 2021/22, o que representa um corte de 7,5% frente à última publicação, mas mantendo uma alta anual de 31,1%. “A umidade regular, aliada aos preços atrativos, podem estimular a produção do próximo ciclo”, aponta a analista do grupo, Malzoni.

De modo similar, a ocorrência de adversidades climáticas também tem prejudicado o potencial produtivo na China. Após a ocorrência de geadas nas lavouras de beterraba e perda de área em Guangxi, principal região produtora do país, a umidade excessiva tem se colocado como ponto de atenção.

Levando essas questões em consideração, a consultoria estima um corte na ordem de 100 mil toneladas para a produção chinesa, projetada para 9,9 milhões de toneladas de açúcar branco (redução de 7,2% no comparativo safra-a-safra). Contudo, a StoneX destaca que os modelos climáticos apontam para chuvas mais brandas ao longo dos próximos dias, o que pode aliviar este contexto.

Aumento produtivo europeu

No continente europeu, as perspectivas produtivas seguem positivas, respondendo ao clima favorável dos últimos meses e à liberação emergencial do uso de neonicotinoides – classe de inseticida utilizada no controle de pulgões, transmissores do vírus amarelo. Diante deste contexto, a Comissão Europeia passou a projetar uma produção de açúcar de 16,1 milhões de toneladas em 2021/22, volume que representa uma alta anual de 11%.

Contabilizando as expectativas para a oferta do Reino Unido, as estimativas da Comissão se mostram alinhadas com as projeções da StoneX, de que a oferta pela região totalize 17,2 milhões de toneladas (valor banco) – ampliação anual de 11,9%.

Possível recuperação australiana

Na Austrália, a umidade excessiva sobre Queensland, principal região canavieira do país, prejudicou os trabalhos em campo e a taxa de extração de açúcar em 2021. Consequentemente, a produção da commodity totalizou 4 milhões de toneladas, apresentando uma retração anual de 4,4%.

Por outro lado, a umidade favorável dos últimos meses se mostrou positiva para o desenvolvimento dos canaviais a serem processados em 2022. Para o próximo trimestre, as previsões são de chuvas acima da normalidade em parte de Queensland, o que deve favorecer o rendimento agrícola dos canaviais. No entanto, tal perspectiva será acompanhada de perto nos próximos meses, de modo a avaliar o potencial produtivo do país.

Por isso, a perspectiva para a oferta da commodity pela Austrália foi mantida pela StoneX em 4,3 milhões de toneladas em 2021/22, representando uma queda safra-a-safra de 1,1%.


PUBLICIDADE FMC_VERIMARK_INTERNO FMC_VERIMARK_INTERNO

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x