Açúcar: Mercado

Liquidez do açúcar no mercado à vista está limitada pela volatilidade dos futuros

Avaliação de preço do açúcar VHP feita pela Platts aponta para o maior valor em mais de três anos; alta foi impulsionada pela expectativa de maior demanda e menor oferta


S&P Global Platts - 05 jan 2021 - 14:10

Por Nicolle Monteiro de Castro*

A alta volatilidade do contrato futuro de açúcar nº 11 da ICE, negociado em 4 de janeiro pelo nível mais alto em mais de três anos, manteve as casas de comércio fora do mercado à vista e em modo de “esperar para ver”.

Apesar da falta de demanda no mercado spot, o aumento no valor dos contratos futuros desencadeou uma elevação na avaliação do preço fixo. Segundo a Platts, em 4 de janeiro, o açúcar VHP brasileiro com carregamento em janeiro foi avaliado em 15,70 centavos de dólar por libra-peso, o maior valor desde 23 de maio de 2017.

O prêmio do açúcar VHP brasileiro calculado pela Platts para embarques em janeiro permaneceu inalterado em 7 pontos ante o contrato de açúcar com vencimento em março.

De acordo com a S&P Global Platts Analytics, parte da recuperação futura do açúcar pode ser atribuída aos dados da colheita de Tailândia, América Central e até mesmo de Uttar Pradesh, na Índia. Eles ficaram abaixo do esperado, aumentando as preocupações de que a oferta de açúcar pode ser restrita.

Leia a análise completa da Platts sobre os preços de açúcar no texto exclusivo para assinantes.

{viewonly=registered,special}Por Nicolle Monteiro de Castro*

A alta volatilidade do contrato futuro de açúcar nº 11 da ICE, negociado em 4 de janeiro pelo nível mais alto em mais de três anos, manteve as casas de comércio fora do mercado à vista e em modo de “esperar para ver”.

Apesar da falta de demanda no mercado spot, o aumento no valor dos contratos futuros desencadeou uma elevação na avaliação do preço fixo. Segundo a Platts, em 4 de janeiro, o açúcar VHP brasileiro com carregamento em janeiro foi avaliado em 15,70 centavos de dólar por libra-peso, o maior valor desde 23 de maio de 2017.

O prêmio do açúcar VHP brasileiro calculado pela Platts para embarques em janeiro permaneceu inalterado em 7 pontos ante o contrato de açúcar com vencimento em março.

De acordo com a S&P Global Platts Analytics, parte da recuperação futura do açúcar pode ser atribuída aos dados da colheita de Tailândia, América Central e até mesmo de Uttar Pradesh, na Índia. Eles ficaram abaixo do esperado, aumentando as preocupações de que a oferta de açúcar pode ser restrita.

Além disso, as licenças de importação da Indonésia para o primeiro semestre de 2021 estão 5% maiores na comparação anual, o que pode significar um aumento de demanda para os produtores brasileiros nos primeiros meses da safra Centro-Sul, que começa oficialmente em 1º de abril.

A alta é oposta ao que foi verificado no início de dezembro, quando o subsídio do governo indiano para 6 milhões de toneladas de açúcar a serem exportadas ao mercado internacional pesou sobre os contratos futuros. Em 14 de dezembro, o contrato com vencimento em março fechou a 14,12 centavos de dólar por libra-peso, uma queda de 8,73% em relação a 16 de novembro, quando foi registrada a segunda maior liquidação do ano, a 15,47 centavos de dólar.

Em 31 de dezembro, por sua vez, o contrato fechou a 15,49 centavos de dólar por libra-peso.

Segundo a Platts, a atividade comercial brasileira não deve demonstrar uma reação por enquanto. Os traders ainda estão digerindo como as recentes notícias com fundamentos de alta podem ser potencialmente convertidas em uma demanda maior do que a estimada anteriormente.

* Nicolle Monteiro de Castro é especialista sênior de preços da S&P Global Platts

Com tradução novaCana.com


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail