Açúcar: Mercado

Itaú BBA acredita que usinas devem fixar preços de açúcar o quanto antes

Contratos futuros, negociados em Nova York, têm registrado queda e bons negócios dependem de condições de câmbio favoráveis


novaCana.com - 03 jun 2020 - 07:24 - Última atualização em: 03 jun 2020 - 11:02

A possibilidade de as usinas brasileiras aumentarem significativamente a produção de açúcar na temporada 2020/21 motivou um grupo de analistas do banco de investimentos Itaú BBA a recomendar a fixação de preços enquanto o mercado segue com condições favoráveis. O relatório da instituição foi concluído na última quarta-feira (27).

Segundo o documento, a possível maximização da produção da commodity no Brasil pode reduzir o déficit esperado para o mercado global e, assim, diminuir o espaço para a recuperação das cotações internacionais do produto.

Em comparação com o observado no final de fevereiro, os contratos negociados em Nova York registraram quedas de 25%. Contudo, a redução foi parcialmente compensada no Brasil por uma desvalorização do real frente ao dólar em 21%.

“Caso haja uma valorização cambial que não seja acompanhada por um acréscimo das cotações, a perda de valor do açúcar em reais pode ser considerável”, apontam os analistas, que recomendam: “Diante das incertezas que estamos atravessando, é prudente que a usina fique atenta às oportunidades para se proteger de possíveis quedas das cotações para níveis que possam comprometer a rentabilidade da operação”.

No texto completo (exclusivo para assinantes), leia mais sobre as perspectivas do Itaú BBA para os preços de açúcar e etanol.


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR



Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail