Açúcar: Mercado

[Cepea] Exportação de açúcar recupera vantagem sobre o spot paulista


Agência Estado - 31 mai 2016 - 11:52

Com a alta na Bolsa de Nova York (ICE Futures) na última semana, o mercado internacional passou a remunerar mais que o spot paulista, o que não ocorria desde a segunda quinzena de outubro de 2015. Entre 23 e 27 de maio, cálculos do Cepea mostram que as vendas externas remuneraram 1,95% a mais que as negociações de açúcar cristal no spot paulista. A sustentação nos preços em Nova York foi motivada pelo déficit global. Nem mesmo a alta do dólar na semana foi suficiente para frear o aumento nas cotações.

A média semanal do Indicador de Açúcar Cristal Cepea/Esalq foi de R$ 76,22/sc e as cotações do contrato nº 11 da ICE Futures, com vencimento em Julho/16, equivaleriam a um preço médio de R$ 77,71/sc. Para esse cálculo, foram consideradas as médias semanais de US$ 53,73/t de fobização, de US$ 79,20/t de prêmio de qualidade e de R$ 3,5913 de dólar.

No mercado interno, representantes de muitas usinas mantiveram seus preços firmes, motivados pela elevação das cotações no mercado internacional. Com o tempo mais firme em quase toda a semana, a produção de açúcar foi praticamente normalizada – vale lembrar que as chuvas do meio do mês interromperam a moagem e prejudicaram a qualidade em diversas regiões. Parte das usinas, no entanto, ofertou menor volume de açúcar, atenta à previsão de chuva nesta semana.

A demanda, por sua vez, se manteve estável na última semana. A maior parte das negociações, no entanto, concentrou-se até a quarta-feira, 25, uma vez que muitos compradores saíram do mercado na sexta-feira, 27, após o feriado da quinta-feira, 26 (Corpus Christi).

Na sexta-feira, 27, o Indicador Cepea/Esalq do açúcar cristal cor Icumsa entre 130 e 180, mercado paulista, fechou a R$ 76,37/saca de 50 kg, ligeira alta de 0,46% em relação à sexta anterior, 20.

Na ICE Futures, de sexta a sexta, o contrato nº 11 de açúcar demerara (Julho/16) subiu 2,64%, fechando a 17,52 centavos de dólar por libra-peso no dia 27. Em Londres (Euronext Liffe), o contrato de açúcar refinado com vencimento em Agosto/16 avançou 0,83% de sexta a sexta, fechando a semana a US$ 485,20/tonelada.

O Indicador de Açúcar Cristal Esalq/Bvmf, referente ao produto posto no porto de Santos ou com custos equivalentes, sem impostos, cor Icumsa máxima de 150, que inclui vendas domésticas e para exportação, reagiu 0,66% na semana, fechando a R$ 76,75/saca 50 kg na sexta.

No mercado atacadista do estado de São Paulo, o Indicador de Cristal Empacotado fechou a R$ 8,7785/saca de 5 kg na sexta, elevação de 0,76% em sete dias. O açúcar refinado amorfo fechou a R$ 2,0671/saca de 1 kg, ligeiro avanço de 0,07% no mesmo período.

No Nordeste, a semana foi marcada de poucos negócios. Houve entrada de açúcar do Centro-Sul, com destaque para o produto de Goiás. Mesmo assim, as unidades produtoras da região nordestina não cederam nos preços.

Em relação ao etanol, o Indicador semanal Cepea/Esalq do anidro combustível subiu 3,1% e o hidratado, 4,62% em comparação com a semana anterior. Frente ao açúcar cristal, que acumulou alta de 0,46% entre as duas e sextas-feiras, cálculos do Cepea mostram que o açúcar remunerou 58,44% a mais que o anidro e 63,07% a mais que o hidratado.


PUBLICIDADE BASF_NOV_INTERNAS BASF_NOV_INTERNAS

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x