Açúcar: Mercado

Depois de muito tirar, Índia agora dá suporte para açúcar acima de 14 c/lp


Money Times - 14 jan 2020 - 12:32

O açúcar conseguiu encontrar um suporte que poderá mantê-lo em patamares há muito não vistos na bolsa de commodities de Nova York. A safra da Índia, que há três ciclos derruba os preços, vem enfrentando dificuldades para perseguir o desempenho passado, o que se soma a outros fundamentos de recuo do disponível mundial.

O adoçante rompeu os 14 centavos de dólar por libra-peso, na sexta (10), quando fechou em 14.07 c/lp. Na quinta saiu em 13.71 c/lp, depois de ficar na franja dos 13 desde 4 de dezembro.

Nesta altura da segunda (13), o contrato março na ICE Futures vem sofrendo uma pressão de ajuste técnico, perto das 12h20 (Brasília), ficando entre igual ao último pregão ou em leve queda.

Colaborou, para a percepção do mercado que enxerga um déficit global, o relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), encurtando a oferta, avalia ainda Maurício Muruci, analista da Safras & Mercado.

Adiciona-se o Brasil passando por uma entressafra e embora as chuvas indiquem um bom período na safra 20/21 do Centro-Sul (a partir de abril), ainda não está definido claramente qual vai ser o mix. Nas duas últimas foi mais alcooleiro.

Índia

Nos dois primeiros dois meses do ciclo 19/20 indiano, o acumulado recuou 30% sobre novembro e dezembro de 2018, chama a atenção Muruci. Até final de dezembro, a produção foi de 7,7 milhões de toneladas.

Só na segunda quinzena do mês passado, quase 1 milhão/t de açúcar deixou de ser fabricada, baseado em dados das entidades das indústrias.

O clima derrubou muito as expectativas e os números revelam estatísticas que deverão encurtar o volume disponível da Índia para exportações, que até algumas semanas atrás girava na casa das 5 milhões/t.

Estados Unidos

O USDA divulgou relatório apontando que o país poderá 800 mil/t a mais sobre 18/19. Isso daria 3,8 milhões/t a serem buscadas no exterior.

A razão, segundo Muruci, é uma produção local menor, para 8,1 milhões/t (8,2 milhões/t no período anterior), além de estoques menos confortáveis.

Ou seja, os Estados Unidos surgem como outro destino para mais açúcar sobre um disponível que se mostra menor.

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail