BASF
Açúcar: Mercado

Indicador Cepea/Esalq de açúcar atinge R$ 84 a saca; maior patamar desde set/11


Agência Estado - 19 jan 2016 - 08:50

Embora o ritmo de negócios envolvendo o açúcar tenha diminuído um pouco na última semana, os valores médios do cristal seguiram em alta no mercado spot paulista. Representantes de usinas priorizaram a entrega de contratos, em especial os referentes ao açúcar Icumsa até 150, restringindo, assim, a oferta no spot. Nesse cenário, o preço do cristal atingiu a casa dos R$ 84,00/saca de 50 kg, o maior patamar em aproximadamente quatro anos – abaixo somente da média real de setembro/11, de R$ 86,02/saca de 50 kg – valores deflacionados pelo IGP-DI, base dezembro/15.

Na sexta-feira, 15, o Indicador Cepea/Esalq do açúcar cristal cor Icumsa entre 130 e 180, mercado paulista, fechou a R$ 84,48/saca de 50 kg, com alta de 1,88% em relação à sexta-feira anterior.

No mercado internacional, especula-se que a China tenha importado volume recorde de açúcar em 2015. Em novembro/15, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulgou estimativa de que a China importaria 5,5 milhões de toneladas de açúcar na temporada 2015/16, volume 8,74% superior às 5,058 milhões de toneladas compradas em 2014/15. Segundo a Secretaria de Comércio Exterior (Secex), em 2015, o Brasil exportou para a China 2,507 milhões de toneladas de açúcar, 9,87% a mais que as 2,282 milhões de toneladas embarcadas em 2014.

Ao mesmo tempo, a produção de açúcar da Índia deve ser prejudicada pelo clima seco que atinge as principais regiões produtoras do país. Em seu último relatório, o UDSA estimou queda de 5,65% na produção indiana em relação ao ano passado, que se limitaria a 28,53 milhões de toneladas. Vale ressaltar que os preços do açúcar no mercado doméstico indiano subiram, o que desestimulou as exportações. Em 2015, o governo da Índia esperava exportar em torno de 4 milhões de toneladas, mas estimativas apontam que apenas 1,5 milhão de toneladas teriam sido embarcadas no ano.

De sexta a sexta, o contrato nº 11 de açúcar demerara (Março/16) da Bolsa de Nova York (ICE Futures) subiu 3,18%, fechando a 14,92 centavos de dólar por libra-peso no dia 15. Em Londres (Euronext Liffe), o contrato de açúcar refinado com vencimento em Março/16 teve alta de 1,79% de sexta a sexta, fechando a US$ 427,20/tonelada.

De 11 a 15 de janeiro, as vendas de açúcar cristal no spot paulista remuneraram 9,38% a mais que as externas. Enquanto a média semanal do Indicador de Açúcar Cristal Cepea/Esalq foi de R$ 84,08/sc, as cotações do contrato nº 11 da ICE Futures, com vencimento em Março/16, equivaleriam a R$ 76,87/sc. Para esse cálculo, foram consideradas as médias semanais de US$ 47,39/t de fobização, de US$ 83,00/t de prêmio de qualidade e R$ 4,0268 de dólar.

O Indicador de Açúcar Cristal Esalq/BVMF referente ao produto posto no porto de Santos ou com custos equivalentes, sem impostos, cor Icumsa máxima de 150, que inclui vendas domésticas e para exportação, registrou alta de 2,41% na semana, fechando a sexta-feira em R$ 83,60/saca 50 kg.

No mercado atacadista do estado de São Paulo, o Indicador de Cristal Empacotado fechou a R$ 9,3713/saca de 5 kg na sexta-feira, aumento de 1,08% sobre a sexta anterior. O açúcar refinado amorfo fechou a R$ 2,2198/saca de 1 kg, elevação de 0,38% no mesmo período.

O preço do açúcar cristal também tem subido com força no Nordeste, ainda impulsionados pela demanda aquecida e pelos valores firmes em Goiás. Além disso, a oferta no Nordeste está reduzida, por conta da baixa produtividade dos canaviais e das chuvas no início da semana, principalmente em Pernambuco e Alagoas, que dificultaram a colheita.

Quanto ao etanol, o Indicador semanal Cepea/Esalq do anidro combustível subiu 3,21% e o hidratado, 4,12% em relação à semana anterior. Frente ao açúcar cristal, que acumulou alta de 1,88% entre as duas sextas-feiras, cálculos do Cepea mostram que o açúcar remunerou 35,06% a mais que o anidro e 42,02% a mais que o hidratado.


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail