PUBLICIDADE
ARMAC
Açúcar: Mercado

Açúcar: Futuros na ICE se aproximam do suporte de 11,35 cents/lb


Agência Estado - 23 jul 2015 - 10:09

Os futuros de açúcar demerara registraram ontem o sexto pregão consecutivo de perdas na Bolsa de Nova York (ICE Futures US). Com o movimento, as cotações ficaram mais próximas do suporte de 11,35 cents por libra-peso, patamar que tende a ser testado na sessão de hoje, enquanto participantes aguardam números atualizados a respeito da safra 2015/16 no Centro-Sul do Brasil.

Às 12 horas desta quinta-feira, a União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica) divulga os dados referentes à primeira quinzena de julho. Trata-se de um relatório muito esperado pelo mercado, pois deve dar uma clara ideia de como as chuvas em excesso no período atrapalharam a colheita em Estados como Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo.

No início do mês, o diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues, já havia afirmado que as unidades paulistas computavam até três dias de atraso nos trabalhos de campo por conta das precipitações. Já o presidente da Associação dos Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul, Roberto Holanda Filho, acrescentou que no Estado do Centro-Oeste algumas usinas chegaram a ficar a quinzena inteira sem processar.

O "estrago" provocado pelas chuvas já é esperado pelos participantes. Para o banco Pine, a moagem pode ter sido até 26% menor na comparação anual, em torno de 30,7 milhões de toneladas. Já a Platts aposta em processamento de 31,3 milhões de toneladas, também inferior às 46,5 milhões de toneladas observadas na primeira metade de julho de 2014. "Existem problemas técnicos na produção de açúcar após chuvas fortes", afirmou Claudiu Covrig, analista da Platts, em nota reproduzida pela Dow Jones Newswires.

Uma quebra assim seria altista para os futuros, mas o dólar valorizado tende a limitar qualquer rali. Ontem, a moeda subiu 1,86%, para R$ 3,2270. Outubro caiu 4 pontos (0,35%) na ICE Futures US e encerrou em 11,38 cents/lb, com máxima no dia de 11,55 cents/lb (mais 13 pontos) e mínima de 11,37 cents/lb (menos 5 pontos). Março recuou 10 pontos (0,78%) e terminou em 12,80 cents/lb. O spread outubro/março variou de 148 para 142 pontos de prêmio para o segundo contrato da tela.

Nos portos brasileiros, o total de navios que aguardam para embarcar açúcar aumentou de 44 para 51 na semana encerrada ontem, segundo levantamento da agência marítima Williams Brazil. O relatório considera embarcações já ancoradas, aquelas que estão ao largo esperando atracação e também as que devem chegar até o dia 18 de agosto.

Foi agendado o carregamento de 1,80 milhão de toneladas de açúcar. A maior quantidade será embarcada no Porto de Santos, de onde sairão 1,33 milhão de t, ou 74% do total. Paranaguá responderá por 22% (399,60 mil t); Maceió, por 3% (48,18 mil t); e Recife, por 1% (21 mil t).

O Indicador de Açúcar calculado pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq/USP) encerrou a quarta-feira em R$ 47,90/saca, baixa de 0,95% ante a véspera. Em dólar, o índice ficou em US$ 14,84/saca.


PUBLICIDADE FMC_VERIMARK_INTERNO FMC_VERIMARK_INTERNO

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x