Açúcar: Exportação

Tereos eleva em 30,6% movimentação de açúcar com impulso de terminais da VLI


Reuters - 24 nov 2021 - 08:46

A francesa Tereos movimentou 955 mil toneladas de açúcar em 12 meses até novembro deste ano pela rota ferroviária que leva o produto para exportação em Santos (SP), aumento de 30,6% ante o mesmo período anterior, quando a empresa ainda não contava com todas as melhorias em ativos logísticos que receberam investimentos feitos em parceria com a VLI.

O crescimento nos volumes movimentados, que têm como destino final o Tiplam, terminal de exportação de açúcar e grãos da VLI no porto de Santos, ocorreu apesar de uma quebra de safra de cana devido à seca e geadas.

O Tiplam é responsável pela exportação de 25% de todo o açúcar brasileiro via Santos, o principal porto para a commodity no país. No complexo portuário, a integração com o modal ferroviário e a chegada de toda a carga exportada pelos trilhos tornam o processo de escoamento mais ágil.

“Além do aumento do potencial de volume a ser exportado e do ganho de eficiência nas operações, a parceria com a VLI também vem ao encontro das iniciativas da Tereos em sustentabilidade, já que com o transporte ferroviário, reduzimos as emissões de gases de efeito estufa”, disse o diretor-presidente da Tereos no Brasil, Pierre Santoul.

A eficiência aumentou após VLI e Tereos inaugurarem dois armazéns de açúcar construídos nos terminais de Santos e na cidade de Guará (SP), frutos da parceria estabelecida pelas empresas, no valor de R$ 205 milhões, com capacidade para 240 mil toneladas.

Os terminais não são de uso exclusivo da Tereos, mas o investimento garantiu à empresa sucroenergética a possibilidade de usar a capacidade estática de armazenagem nos ativos operados pela VLI.

“Este fluxo simboliza tanto a integração de modais quanto o atendimento desde a origem da carga até o porto, diretrizes logísticas sob as quais a atuação da VLI é embasada”, disse diretor comercial da VLI, Sebastião Furquim, em nota divulgada primeiro à Reuters.

As construções fazem parte do acordo de longo prazo assinado pelas duas empresas em junho de 2018, com investimentos de R$ 145 milhões por parte da Tereos e R$ 60 milhões pela VLI, e que prevê uma capacidade de transporte de 1 milhão de toneladas de açúcar bruto por ano.

Em maio de 2019, a Tereos, hoje uma das principais clientes da VLI em açúcar, já começou a embarcar o volume integral do seu produto pelo sistema ferroviário integrado.

A VLI explicou que com o novo armazém em Guará (SP) aumentou em 300% a capacidade do ativo. Já no Tiplam, onde dois armazéns eram utilizados, agora há um terceiro.

“Antes dos dois novos armazéns, a operação funcionava em um equilíbrio próximo do 1 para 1. Ou seja, para entrar carga nova no sistema, quantidade similar seguia o fluxo. Agora foi expandida substancialmente a capacidade dentro deste sistema, sendo possível ter uma flexibilidade muito maior nas operações”, destacou.

Roberto Samora

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail



x