Açúcar: Exportação

Porto de Paranaguá prevê alta de 75% nos embarques de açúcar no 3º trimestre


Reuters - 25 jun 2020 - 15:42

Operadores de granéis sólidos do porto de Paranaguá preveem aumento de 8,5% nas exportações no terceiro trimestre do ano, com alta nos embarques de soja, farelo de soja e açúcar ante o mesmo período do ano passado, enquanto o milho deve ter queda, informou a administração portuária nesta quinta-feira.

O porto paranaense, um dos principais exportadores de produtos agrícolas do Brasil, deverá embarcar cerca de 7,6 milhões de toneladas no período, considerando os quatro produtos, conforme nota que cita operadores portuários.

Em relação ao açúcar a granel, o volume esperado para os próximos três meses é de 1,45 milhão de toneladas, alta de cerca de 75% no comparativo anual. A perspectiva é de que o Brasil produza mais o adoçante, diante de melhores preços comparativamente ao etanol e maior demanda externa, enquanto outros países produtores tiveram quebra de safra.

Mas os operadores portuários avaliam que a soja seguirá como o produto mais movimentado, com 3,67 milhões de toneladas, enquanto o farelo de soja terá embarques de 1,3 milhão de toneladas, uma alta anual de aproximadamente 30%, somando os dois produtos.

A forte demanda da China é um dos fatores que impulsionam este ano as exportações da soja, disse o diretor da Associação dos Terminais do Corredor de Exportação de Paranaguá (ATEXP) e gerente do terminal da Cargill, André Maragliano, em nota divulgada pelo porto.

Além da demanda chinesa, o câmbio também tem ajudado, acrescentou ele. “Esperamos um terceiro trimestre muito positivo, seguindo os dois primeiros trimestres do ano”, disse Maragliano.

O porto espera movimentar cerca de 1,2 milhão de toneladas de milho no próximo trimestre, ante 2,42 milhões de tonelada exportadas no mesmo período do ano passado. Os operadores lembram que o cenário das exportações do produto foi atípico em 2019, quando o país começou o ano com mais estoques e exportou volumes recordes após a colheita de uma grande safra.

“Apesar do momento de pandemia, a atividade portuária e a atividade agrícola do Estado continuam fortes”, disse o diretor-presidente da empresa pública Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

Ele lembrou que as exportações têm sido impulsionadas também pelo tempo seco, que favorece os embarques, além da safra recorde de soja.

Roberto Samora