PUBLICIDADE
ARMAC
Açúcar: Exportação

Copersucar volta a exportar açúcar 'novo'


Valor Econômico - 17 jan 2014 - 08:00 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53
copersucar-pogetti-170114
A Copersucar, maior trading de açúcar e etanol do mundo, iniciou ontem em seu terminal em Santos (SP) o primeiro carregamento de açúcar "novo". A companhia concluiu o embarque do produto remanescente do incêndio ocorrido em outubro do ano passado no terminal, e agora voltou a receber e exportar novas cargas da commodity.

Em outubro passado, um incêndio de grandes proporções afetou o terminal açucareiro da empresa. Cerca de 180 mil toneladas de açúcar bruto estavam estocados nos três armazéns. A companhia estima que 70% desse volume foi recuperado e exportado.

O presidente do conselho de administração da Copersucar, Luís Roberto Pogetti, informou que na última quarta-feira um navio atracou no terminal para carregar 60 mil toneladas de açúcar bruto com destino a Dubai, nos Emirados Árabes. Esse açúcar está chegando no terminal pelo armazém XXI, que foi inaugurado em meados do ano passado e que também foi afetado pelo sinistro.

Essa estrutura foi adaptada para retomar a operação com capacidade reduzida, até que os outros dois armazéns estejam recuperados. A previsão é que em maio próximo a operação desse armazém seja suspensa para sua completa reconstrução. Em seu lugar, voltarão a funcionar os outros dois terminais, neste momento em obras.

Nesta safra 2013/14, a Copersucar prevê exportar 7 milhões de toneladas da commodity. Até outubro, 3,8 milhões de toneladas haviam sido embarcadas. As 3,2 milhões de toneladas restantes devem ser exportadas até março deste ano. A maior parte desse volume (2,5 milhões) seguirá por terminais de terceiros e a diferença, 700 mil toneladas, no próprio terminal da trading.

A companhia calculou que, com o incêndio, as perdas ficarão em R$ 150 milhões. O valor considera os gastos para limpar e reconstruir o terminal e inclui despesas não indenizadas pelo seguro. Para cobrir parte dessa perda, um aumento de capital de R$ 100 milhões foi aprovado por suas usinas sócias no dia 17 do mês passado.

A ata da assembleia extraordinária de acionistas que aprovou o aumento tornou-se pública ontem. Com a chamada de capital, o capital social da companhia saiu de R$ 80,3 milhões para R$ 180,3 milhões, mediante a emissão de 833.333.333 de novas ações ordinárias, subscritas ao valor patrimonial de 31 de outubro de 2013, correspondente a R$ 0,12 por ação.

Fabiana Batista

PUBLICIDADE FMC_VERIMARK_INTERNO FMC_VERIMARK_INTERNO

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x