BASF
Açúcar: Exportação

Alvean derruba Wilmar e assume liderança em ranking de exportações de açúcar em 2018

Junto à Sucden, as três tradings comercializaram 52% da commodity brasileira no ano; mercado segue tendência de maior concentração


novaCana.com - 07 fev 2019 - 09:45 - Última atualização em: 08 fev 2019 - 06:46

Considerando que o Brasil é o maior exportador de açúcar do mundo, para que ele chegue aos portos de mais de 100 países, as tradings fazem o meio de campo entre as usinas e o destino final. Porém, apesar da lista de pontos de chegada ser extensa, o mercado da commodity segue cada vez mais concentrado.

Uma reportagem do Valor Econômico publicada em 25 de janeiro expôs a intensificação da tendência de poucas gigantes concentrarem a comercialização do açúcar. Entre os motivos estariam mudanças naturais do mercado como a necessidade de novas estratégias para lidar com um maior acesso à informação. Com a origem conhecendo o destino, as tradings se tornaram apenas intermediárias no processo de contratação e coordenação nos serviços de logística.

Além disso, no último ano, companhias como Olam e Bunge justificaram suas saídas das mesas de negociação de açúcar por conta dos baixos preços. Ainda segundo a reportagem, após encontrarem um mercado aquecido em 2016/17, os valores internacionais caíram cerca de 25% na temporada 2017/18.

O impacto no Brasil segue essa proporção. Conforme números do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), em 2018, o volume exportado caiu 25,8% em comparação com o ano anterior, enquanto o preço médio de venda baixou 23,1% no mesmo período – de US$ 397,56/t para US$ 305,90/t.

Segundo dados da agência marítima Williams, que acompanha as saídas de açúcar pelos portos brasileiros, das 18,67 milhões de toneladas exportadas em 2018, 9,71 milhões – ou seja, 52% do total despachado – foram pela Alvean, Wilmar e Sucden.

Aliás, essa é a primeira vez que a dianteira das compras de açúcar brasileiro ficou com a Alvean: a joint venture entre Cargill e Copersucar exportou 3,45 milhões de toneladas no acumulado de janeiro a dezembro. Apesar da liderança, houve uma redução de 22,3% no volume ante 2017, quando a companhia negociou 4,42 milhões de toneladas.

compradores anual 2018 BL

Confira, na versão completa:

- Ranking das 20 maiores compradoras de açúcar brasileiro em 2018
- Volumes mensais das 10 maiores compradoras
- Evolução das cinco maiores compradoras de 2011 a 2018
- Principais destinos do açúcar brasileiro – total e por compradora
- Histórico de envios de açúcar pelo Brasil
- Volumes exportados por porto

exclusivo assinantes

O texto completo desta página
está disponível apenas aos assinantes do site

veja como é fácil e rápido assinar