Etanol

Tudo sobre etanol


novaCana - 10 jul 2013 - 15:00 - Última atualização em: 03 dez 2013 - 10:47
Imagem do etanol antes de ir para o tanque Etanol no frasco
O álcool dentro da usina Cana sendo esmagada para virar caldo e depois etanol
O etanol é composto orgânico líquido, sem cor, tóxico, inflamável, com cheiro forte e consistência próxima à da água. É conhecido como "álcool etílico", ou apenas "álcool", apesar deste termo corresponder – oficialmente – a toda uma família de substâncias. Recentemente o termo "bioetanol" também tem sido usado como sinônimo de etanol, quando se quer enfatizar a origem renovável.

Este líquido é muito conhecido pois faz parte do dia-a-dia das pessoas de duas maneiras: como combustível para meios de transporte e, desde a pré-história, como o ingrediente mais famoso de bebidas alcoólicas, como a cerveja, o vinho e a cachaça. Contudo, ele é também matéria-prima industrial, sendo largamente utilizado para fazer perfumes, materiais de limpeza, tintas, solventes e muitos outros produtos.

Estes usos estão relacionados às duas principais propriedades do etanol: inflamabilidade (capacidade de queima) e solubilidade em água (capacidade de se misturar com a água).

De onde vem o etanol?

Embora seja orgânico, o etanol não é encontrado puro na natureza e precisa ser fabricado. Há processos complexos para a obtenção da substância, porém, o mais difundido é a fermentação de açúcares de plantas ricas em açúcar ou amido, como cana-de-açúcar, milho, beterraba e sorgo. No Brasil, a matéria-prima utilizada é a cana, cultura tradicional no país e a mais eficiente na produção de etanol. Nas usinas, a planta é esmagada para se obter o caldo, no qual são jogadas leveduras (fungos) que realizam a fermentação. Existe também a possibilidade de extrair os açúcares para produção de etanol da biomassa da cana, ou seja, da palha e do bagaço que, atualmente, sobram da produção "comum". Porém, a primeira usina no país a utilizar este novo método só vai ficar pronta em 2014.

Para que serve o etanol?

Apesar de estar presente em diversos produtos do cotidiano, o etanol é mais utilizado, atualmente, como combustível. Para se ter uma ideia, na safra 2012/2013, foram produzidos mais de 21 bilhões de litros do biocombustível, o que equivale a 8.400 piscinas olímpicas. Deste volume, foram consumidos aproximadamente 18 bilhões de litros e pouco mais de 3 bilhões foram exportados.

A primeira vez do etanol

Você sabia que o primeiro registro do uso de etanol em bebidas alcoólicas é de uma produção de vinho por alquimistas da Escola de Salerno, no século 12? Mesmo assim, sabe-se que o composto é usado para este fim desde a pré-história.
Para esta aplicação, o etanol pode ser "puro" ou misturado à gasolina. O primeiro, o "álcool comum" vendido nos postos, é o etanol hidratado, uma mistura com cerca de 96% de etanol e o restante de água. Ele pode ser usado tanto em veículos que funcionam exclusivamente à base de álcool etílico, quanto nos flex (que usam álcool ou gasolina como combustível). Por ser concorrente da gasolina e não apresentar a mesma performance – a eficiência do biocombustível é 30% menor –, o etanol hidratado precisa ser vendido por um preço menor para valer a pena para o consumidor. Esta situação tem sido prejudicial para as usinas que fabricam etanol, uma vez que o governo controla o preço da gasolina através da Petrobras e evita reajustes para não estimular a inflação.

Já o álcool que é misturado à gasolina é o etanol anidro, que possui pelo menos 99,6% de álcool puro. A proporção de mistura é decidida pelo governo de cada país, mas a indústria automobilística tem peso nessa decisão, afinal os motores dos veículos precisam estar aptos a receber gasolina com mais ou menos álcool. No Brasil, esta proporção varia de 20% e 25%, de acordo com determinação do governo. Depois de ficar no patamar dos 20% desde outubro de 2011, em maio de 2013 a gasolina voltou a ter 25%.

Por ser obtido de plantas que podem ser cultivadas continuamente, o etanol é considerado um combustível renovável, ou seja, não se esgota. Isso significa que, nas condições certas, o etanol pode diminuir a dependência de combustíveis fósseis, garantindo segurança energética para os países, principalmente para aqueles que não tem jazidas de petróleo para explorar ou consomem mais petróleo do que produzem.

A fórmula química

O etanol possui sempre a mesma fórmula química: C2H6O (ou, de forma mais detalhada, CH3CH2O). Além disso, é um composto orgânico da família dos álcoois, que são as substâncias orgânicas que possuem o grupo hidroxila (OH) ligado a um átomo de carbono saturado. Como comparação, a gasolina e o diesel podem ter diversos compostos químicos.
As moléculas do etanol
Ele é também um combustível sustentável, pois grande parte do gás carbônico lançado na atmosfera em sua produção é absorvido pela própria cana-de-açúcar durante a fotossíntese. É calculado que o etanol reduz em 89% a emissão de gases de efeito estufa, se comparado à gasolina. Além disso, ele lança menos gases poluentes em comparação com os combustíveis derivados do petróleo, o que o torna um dos mais viáveis ecologicamente.

O resíduo mais importante da produção de etanol é o bagaço da cana, que pode ser utilizado para cogeração de energia. Essa energia é normalmente direcionada para o funcionamento da usina, mas pode atender à população em geral (dependendo, claro, do tamanho da usina e da quantidade de biomassa).

Assim como a gasolina, o etanol combustível é regulado pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Além disso, por todo o processo de produção, uso e venda do produto, inclusive ao exterior, ele é de interesse dos Ministérios da Agricultura, de Minas e Energia, e de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

A principal diferença entre o Brasil e os EUA no etanol

Boa parte da população brasileira associa o etanol a um exemplo de produto com a cara do Brasil, graças ao histórico de cultivo de cana-de-açúcar, a matéria-prima mais eficiente para produzir etanol. E realmente o Brasil tornou-se referência mundial em produção sustentável e eficiente do produto. Mas somos apenas o segundo país que mais produz etanol, os maiores são os EUA. Eles, no entanto, fabricam etanol com milho, uma matéria-prima menos eficiente.

Veja também:
As principais notícias sobre etanol

Tags: Outros

PUBLICIDADE BASF_NOV_INTERNAS BASF_NOV_INTERNAS

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x