Usinas

Falta de terras para plantio deve atrasar início da produção da usina CRV, diz superintendente

Área de plantio ainda é considerada muito pequena para iniciar a produção industrial em 2019


Tudo em Dia (MG) - 12 mar 2018 - 08:03

Um encontro entre empresários e lideranças com a administração da usina CRV Industrial, marcou a noite da última quinta-feira (8) em Capinópolis (MG). O encontro, organizado pela Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Capinópolis, ocorreu na Câmara Municipal.

Vários empresários compareceram ao evento, com o objetivo de estreitar os laços com a indústria sucroalcooleira que iniciou as atividades administrativas em Capinópolis em janeiro deste ano, logo após arrematar a antiga Vale do Paranaíba em leilão.

Em entrevista ao Tudo Em Dia, a superintendente de recursos humanos, Marcilene Cristina Alves Pereira, afirmou que busca atingir a meta de gerar quinhentos empregos diretos em 2018, mas que isso ainda é incerto, pois pode haver atraso no início da produção industrial por falta de terras para plantio.

“Estamos querendo cumpri-la [meta de empregos estabelecida], vai depender se conseguirmos terras para plantio para nossa matéria-prima, que é a cana-de-açúcar. Já contratamos duzentos funcionários, [estamos] em março ainda, então, dependendo do que conseguirmos avançar com o plantio da cana, a gente vai chegar a este número”, disse a superintendente, que completou: “Está faltando terra para plantio. Hoje, o que se tem é suficiente para moer trezentas mil toneladas de cana, o que é muito pouco para colocar a fábrica em funcionamento em 2019.

Ainda segundo Marcilene, caso não haja aumento no índice de áreas plantadas, a fábrica deve iniciar suas atividades apenas em 2020.

O prefeito Cleidimar Zanotto disse que o histórico de problemas financeiros do antigo Grupo João Lyra pode ter refletido para a insegurança dos arrendadores de terra.