Clima seco ajudou moagem da Raízen no trimestre; empresa vê maior ganho com etanol

O clima seco no segundo trimestre da safra 2017/18, equivalente ao terceiro trimestre do ano civil 2017 (julho a setembro), foi o principal fator por trás da aceleração na moagem de cana da Raízen Energia, disse nesta segunda-feira o diretor de Relações com Investidores da Cosan, Guilherme Machado, em teleconferência com analistas e investidores.

A Raízen Energia acelerou a moagem de cana no trimestre, atingindo 28 milhões de toneladas, e teve resultado impulsionado, dentre outros fatores, por melhor mix de vendas com expansão dos volumes próprios vendidos de açúcar (+44 por cento) e de etanol (+74 por cento), segundo balanço da Cosan divulgado na sexta-feira.

Ainda segundo Machado, “o etanol anidro e hidratado estão remunerando mais que o açúcar” atualmente, algo já observado por outras usinas do centro-sul, que têm destinado maior parcela de cana para a fabricação do biocombustível.

José Roberto Gomes

Etanol e Cana direto em seu email

Antes de sair, cadastre-se para receber as principais notícias do setor
Obrigado, não quero ficar informado.
Esqueci minha senha close modal