Adecoagro segue em plano de expansão e considera compra de usinas

A Adecoagro está bem encaminhada em seu plano de três anos para expandir a capacidade em cana-de-açúcar no Brasil, disse o presidente da empresa, Mariano Bosch, em entrevista durante o Reuters Global Commodities Summit. Com isso, a empresa passará a ter uma capacidade de 13 milhões de toneladas, frente a 10 milhões anteriormente,

A companhia quer expandir sua capacidade de moagem para a cana, observando usinas como as que a trading de commodities Bunge disse, em 2013, que estava pensando em vender. "Olhamos muitas usinas que estão à venda, não só as da Bunge", disse Bosch, acrescentando que qualquer compra do tipo precisaria caber dentro do modelo de baixo custo da companhia.

Ele afirmou ainda que a Adecoagro vendeu antecipadamente cerca de um quarto de sua nova safra a um preço médio de aproximadamente de 18 centavos por tonelada mais cedo neste ano. Mas a empresa tem ficado em parte distante do mercado, pois está à espera de melhores preços, segundo o executivo.

EUA e México

A Adecoagro também vê uma oportunidade de longo prazo no pedido do governo Trump para uma renegociação do Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta, na sigla em inglês), enxergando uma chance para que o milho, arroz e outras culturas que produz na Argentina e Brasil encontrem um mercado no México, disse seu presidente.

A empresa embarcou remessas de milho e arroz ao México a partir da América do Sul nos últimos meses, acrescentou Bosch. De acordo com ele, a companhia vê uma chance de embarcar mais produtos, incluindo laticínios, que compradores mexicanos geralmente importam dos Estados Unidos.

Embora seja incerto se consumidores mexicanos estão interessados em substituir fornecedores norte-americanos de longo prazo ou se estão comprando da América do Sul como tática de negociação, Bosch disse que a Adecoagro vê a possibilidade de se tornar um fornecedor considerável de forma permanente.

"Eu acho que temos uma oportunidade de ser mais do que uma estratégia de negociação para o México", disse Bosch.

Canadá, México e Estados Unidos se reunirão nesta semana em uma nova rodada de conversas para renegociar o Nafta, que o presidente dos EUA, Donald Trump, tem criticado por prejudicar a produção manufatureira dos EUA.

Chris Prentice, Karl Plume, Tom Polansek e Mark Weinraub
Com edição novaCana.com

Etanol e Cana direto em seu email

Antes de sair, cadastre-se para receber as principais notícias do setor
Obrigado, não quero ficar informado.
Esqueci minha senha close modal