Vallourec
Financeiro

Prejuízo da Biosev aumenta 42,8% no 4º trimestre do ano-safra 2017/18


Agência Estado - 13 jun 2018 - 07:06

A Biosev, braço sucroenergético do Grupo Louis Dreyfus, reportou prejuízo líquido de R$ 446,7 milhões no quarto trimestre do ano-safra 2017/2018, entre janeiro e março deste ano. O resultado é 42,8% superior ao prejuízo de R$ 313,4 milhões registrado em igual período do ciclo anterior. No acumulado anual, a Biosev relatou prejuízo de R$ 1,27 bilhão, alta de 111,5% sobre os R$ 600,4 milhões do consolidado na safra 2016/2017.

A receita líquida da companhia (ex-HACC) avançou 24,4% na mesma base de comparação trimestral, para R$ 1,956 bilhão, enquanto o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado ex-HACC totalizou R$ 441,75 milhões, alta de 30,3%. A dívida líquida em 31 de março era de R$ 3,318 bilhões, um recuo de 29,4% na comparação com o nível verificado o final do último trimestre de 2016/2017, encerrado em 31 de março de 2017, de R$ 4,699 bilhões.

Em 28 de março deste ano, a Biosev anunciou a renegociação com 11 instituições financeiras, brasileiras e internacionais, para a extensão e renovação de parte de seu endividamento bancário. A operação contou com um aporte de R$ 3,46 bilhões feito pelo Grupo Louis Dreyfus, um adiantamento no aumento de capital da Biosev, de até R$ 4,793 bilhões, que contou com a participação de acionistas minoritários da empresa produtora de açúcar, etanol e bioenergia. Em maio, a companhia informou que no exercício do direito de preferência dessa operação de aumento de capital foram subscritas 800.802.710 ações ON ao preço de R$ 4,32, o que corresponde ao valor do aporte. Hoje a Biosev informou que a operação foi homologada.

A Biosev investiu um total de R$ 430,5 milhões no quarto trimestre da safra 2017/2018, 19% menos do que em igual período da passada. Do total, R$ 232,7 milhões foram investidos na entressafra, R$ 192 milhões foram investidos em atividades operacionais, e R$ 5,8 milhões na expansão.

Na safra 2017/2018, as usinas da Biosev moeram 32,67 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, a maior em sete safras e aumento de 3,6% em relação a igual período de 2016/2017. O Açúcar Total Recuperável em quilos por tonelada de cana (kg/t) processada no último trimestre da safra ficou em 128,8 kg/t ante 129 kg/t no período anterior. Com mix de 47,5% da oferta de matéria-prima para a fabricação de açúcar, a produção do alimento alcançou 1,89 milhão de toneladas em 2017/2018, um recuo de 0,7%. A fabricação de etanol ficou em 1,29 bilhão de litros, alta de 13% entre as safras períodos e a cogeração de energia elétrica para venda foi de 892 Gwh, alta 5,7%.

Gustavo Porto