Vallourec
Financeiro

Distância entre usinas cresce ano a ano: finanças do setor estão cada vez mais heterogêneas

Desequilíbrio entre as usinas de açúcar e etanol evidencia que as finanças sucroenergéticas não vão bem – e que a média não representa um cenário real


novaCana.com - 11 set 2018 - 10:09
Manoel Pereira de Queiroz foi um dos palestrantes do NovaCana Ethanol Conference 2018

Um setor heterogêneo e com um gap cada vez mais evidente: de um lado, empresas com as contas em dia e de olho em possíveis investimentos; do outro, as companhias com dificuldades extremas nas finanças.

Essa é visão sobre as sucroenergéticas dada pelo gerente sênior de relacionamento do banco holandês Rabobank, Manoel Pereira de Queiroz. Ele faz o diagnóstico do setor sucroenergético pelo prisma dos investimentos – ainda existentes, mas cada vez mais escassos.

Durante palestra realizada no último dia 4 de setembro, no NovaCana Ethanol Conference 2018, Queiroz apresentou algumas conclusões sobre a saúde financeira das usinas brasileiras, levando em conta captação de recursos, financiamento e endividamento das usinas.

O respaldo das informações veio do conhecimento de causa do banco, que tem US$ 4,2 bilhões em ativos no mercado de açúcar e etanol – destes, US$ 2,1 bilhões estão no Brasil, país onde atua há 25 anos.

Segundo o profissional, a dívida líquida do setor desalavancou na média. Em 2017/18, ela foi de R$ 125 por tonelada de cana. O número se refere a um estudo feito pelo banco com uma amostragem de 35 usinas, as quais representam cerca de 50% da moagem brasileira e pouco mais de 300 milhões de toneladas. A análise também foi ampliada para a perspectiva histórica, com valores corrigidos pela inflação.

Na reportagem a seguir, veja um aprofundamento nos tópicos:

- Desigualdade do setor: gap do endividamento
- Capacidade de solvência das usinas
- Liquidez das companhias sucroenergéticas
- Em busca de crédito – financiamentos públicos e privados e emissão de CRAs
- Fusões e aquisições no setor sucroenergético
- Consolidação do setor e perspectivas para o futuro

exclusivo assinantes

O texto completo desta página
está disponível apenas aos assinantes do site

veja como é fácil e rápido assinar