Financeiro

A disparidade do setor sucroenergético nos indicadores de 44 usinas

O significado de R$1,00 de lucro, R$1,00 de dívida e 1 tonelada de cana para as sucroenergéticas


novaCana.com - 06 dez 2018 - 11:33 - Última atualização em: 07 dez 2018 - 10:18

  1. O ‘preço’ de R$ 1,00 de Ebitda: Principal indicador de desempenho operacional das empresas se manteve praticamente estável entre as duas últimas safras, mas sua relação com a moagem escancara disparidade do setor.
  2. O ‘rendimento’ de uma tonelada de cana: Usinas conseguiram lucrar mais com cada tonelada de cana moída, porém, não se saíram tão bem no comparativo com outros indicadores operacionais e financeiros.
  3. O ‘peso’ de R$ 1,00 de dívida: Houve uma piora na relação entre os débitos do setor sucroenergético e a moagem, o Ebitda e o patrimônio líquido das empresas, evidenciando o perfil de endividamento do setor.

A relação entre o lucro e a produção de uma usina é extremamente relevante, mas nem sempre óbvia – especialmente em um setor tão heterogêneo quanto o sucroenergético.

A partir de dados obtidos em um levantamento da consultoria FG/A é apresentada uma série de indicadores para a compreensão da já conhecida disparidade do setor sucroenergético. A amostra completa envolve 57 empresas, que representam cerca de 62% da moagem do Centro-Sul – destas, 44 tiveram os dados individuais apresentados.

De acordo com os resultados da safra 2017/18, duas questões são certas: a diferença entre as companhias que estão melhor e pior posicionadas de acordo com seus indicadores, e a grande falta de investimentos no setor, que já vem sendo vista há alguns anos. Ainda assim, houve uma melhora em alguns números.

O sócio da FG/A Willian Orzari Hernandes explica que, em comparação com 2016/17, as usinas viveram um cenário “de faturamento líquido por tonelada parecido com a safra anterior”. Segundo ele, isso seria o resultado de uma recuperação do preço do etanol durante a temporada toda, frente a uma deterioração do preço do açúcar.

Enquanto em 2016/17 a média do faturamento líquido entre as companhias analisadas pela consultoria girava em torno dos R$ 166,11, em 2017/18 ela ficou com R$ 164,70. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) e o resultado financeiro líquido também atingiram uma certa estabilidade entre as duas últimas safras, de acordo com Hernandes.

Analisando o significado de R$ 1,00 de Ebitda, R$ 1,00 de dívida e 1 tonelada de cana para as 44 empresas que tiveram seus dados divulgados no estudo, é possível demonstrar qual a real situação de cada companhia, independente do seu tamanho.

exclusivo assinantes

O texto completo desta página
está disponível apenas aos assinantes do site

veja como é fácil e rápido assinar