"Diferença abissal" entre empresas sucroenergéticas continua a aumentar, confirma Itaú BBA

Empresas em melhor situação financeira continuam investindo e se distanciam ainda mais das empresas em dificuldade

No final do ano passado, o Itaú BBA já havia alertado que a diferença de saúde financeira entre as melhores e as piores empresas do setor – que sempre foi grande – tornaria-se “abissal”.

Números atualizados pela instituição e apresentados durante o novaCana Ethanol Conference mostram que a safra 2016/17 permitiu que muitas empresas sucroalcooleiras incrementassem seus resultados, melhorando indicadores financeiros e de endividamento.

No entanto, este cenário de melhora, como previsto, beneficiou o grupo de usinas que se encontram “na elite do setor”, fazendo com que essas empresas despontem cada vez mais na liderança do segmento.

Confira a seguir os dados médios das 35 usinas que formam os grupos A&B da cartela do banco e são responsáveis por 278 milhões de toneladas moídas na última safra:

- Receita líquida
- Ebitda
- Resultado Financeiro Líquido
- Capex Total
- Fluxo de Caixa Livre
- Dívida Líquida



“Os bons seguem investindo, seguem crescendo. Mas isso quer dizer que tem um outro segmento que, de fato, há muito tempo não faz Capex de maneira adequada” – Guilherme Pessini, Itaú BBA

O texto acima é apenas uma breve introdução. Para ver esta página completa clique aqui e assine.

exclusivo assinantes

O texto completo desta página
está disponível apenas aos assinantes do site

veja como é fácil e rápido assinar

Etanol e Cana direto em seu email

Antes de sair, cadastre-se para receber as principais notícias do setor
Obrigado, não quero ficar informado.
Esqueci minha senha close modal