Biosev tem prejuízo de R$ 577 milhões no 1º trimestre da safra 2017/18

A Biosev, braço sucroenergético da Louis Dreyfus Company (LDC), reportou prejuízo líquido de R$ 577,3 milhões no primeiro trimestre do ano-safra 2017/2018, entre abril e junho deste ano. O resultado supera em 63% os R$ 353,3 milhões de prejuízo registrados em igual período do ciclo anterior.

Conforme os números apresentados, o resultado poderia ter sido pior se não tivesse ocorrido um efeito positivo da tributação do IR e da CSLL. Antes da tributação, o prejuízo foi de R$ 861 milhões.

A receita líquida da companhia aumentou 9,5% na mesma base de comparação, para R$ 1,832 bilhão. Contudo, o custo dos produtos vendidos e serviços prestados avançou 25%, para R$ 2,014 bilhões. Dessa forma, a Biosev encerrou o trimestre com prejuízo bruto de R$ 182,016 milhões.

Em relatório, a administração da empresa atribuiu a alta dos custos ao crescimento da quantidade de sacarose (ATR) vendida, aos custos não caixa e aos custos unitários. Aumentou, por exemplo, a dependência do fornecimento de cana de terceiros. Houve impacto também do custo com arrendamentos e parcerias.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado totalizou R$ 159 milhões, uma alta de 13,5%. A dívida líquida em 30 de junho era de R$ 5,218 bilhões, aumento de 11,1% na comparação com o nível verificado o final do primeiro trimestre de 2016/2017.

A Biosev investiu um total de R$ 266,7 milhões no trimestre, 6,5% mais do que em igual período do ciclo anterior. Do total, R$ 231,68 milhões foram investidos em atividades operacionais, alta de 6,5%. Para expansão, o montante foi de R$ 1,66 milhão, redução de 64%.

No primeiro trimestre da safra 2016/2017, as usinas da Biosev moeram 9,62 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, crescimento de 6,5% em relação ao ciclo anterior. O destaque é o polo de Ribeirão Preto, cuja moagem cresceu 10,2% no período, para 5,8 milhões de toneladas de cana. O Açúcar Total Recuperável (ATR) por tonelada de cana processada subiu 0,7% entre os períodos, para 120,4 quilos.

Com mix de 53% da oferta de matéria-prima para a fabricação de açúcar, a produção do alimento alcançou 587 mil toneladas no primeiro trimestre de 2017/2018, um aumento de 12,6%. A fabricação de etanol ficou em 320 milhões de litros, alta de 6,3% entre os períodos, e a cogeração de energia elétrica para venda foi de 278 Gwh, aumento de 17,3%.

A Biosev manteve o guidance de moer entre 31,5 milhões e 33,5 milhões de toneladas de cana na safra 2017/18, com ATR de 129 kg a 131 kg por tonelada.

Gustavo Porto
Com informações do Valor Econômico e edição novaCana.com

Etanol e Cana direto em seu email

Antes de sair, cadastre-se para receber as principais notícias do setor
Obrigado, não quero ficar informado.
Esqueci minha senha close modal