Ernst & Young: Fusões e aquisições do mercado sucroenergético

novaCana.com

As perspectivas para o mercado de fusões e aquisições de usinas de etanol e açúcar é um assunto que divide os especialistas do setor. Afinal, apesar da crise política e econômica que vive o país, a iminência de programas como o Renovabio dá novas nuances à questão.

novaCana.com15/09/2017

As consequências (positivas) de um programa como o Renovabio já passaram a atiçar as perspectivas do mercado sucroenergético para uma nova onda de fusões e aquisições. Os indícios de uma possível retomada do setor, impulsionada pela demanda por combustíveis mais limpos e pelos preços do açúcar, encorajam as usinas a produzirem mais e podem fazer os investimentos ganharem ritmo.

O assunto é tema do painel “Fusões e aquisições no setor sucroenergético”, no segundo dia do NovaCana Ethanol Conferece 2017. Quem assume a responsabilidade de mediar a discussão é o sócio da Ernst & Young Terco no Brasil, Renato Gennaro. Além de sócio da consultoria, Gennaro é o especialista em usinas sucroalcooleiras na instituição. Ele direcionará o debate que será realizado entre Thiago Duarte (BTG Pactual), André Assumpção (Bradesco BBI) e Juliano Merlotto (FG/A).

Todos esses palestrantes já confirmaram presença no evento. Clique aqui para conhecer outros profissionais que também estarão presentes no NovaCana Ethanol Conference.


Debate: Fusões e aquisições no setor sucroenergético

Mediação: Renato Gennaro
Data: 26 de setembro, às 12h
Local: Hotel Tivoli – Mofarrej

inscricao


O RenovaBio oferece uma visão mais clara do potencial da indústria até 2030 e os desdobramentos devem refletir nas perspectivas de investimentos e no valor dos ativos do setor.

Várias notícias já abordaram que empresas estrangeiras renovaram o seu interesse em aquisições no setor de açúcar do Brasil. Instituições como o Bradesco BBI e o BTG Pactual também apontaram que os preços altos e a limitada habilidade da indústria em ampliar a capacidade de produção são os ingredientes necessários para valorizar as companhias nacionais, com o preço das usinas por tonelada de cana subindo em casos de fusões e aquisições.

O governo também está atento à questão. A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) aponta no plano Decenal de Energia (PDE) para 2026 que o cenário de alto endividamento das empresas do setor sucroenergético ainda dificulta os investimentos em greenfields (novas usinas).

De acordo com a EPE, com dados de 2014, para uma nova unidade que produza açúcar e etanol é estimado que o investimento médio seja de R$ 344,80 por tonelada de cana. Já no caso de uma destilaria, o valor seria algo em torno de R$ 310,60 por tonelada de cana. Nos dois casos, que incluem a estrutura para cogeração de energia elétrica, o valor é superior ao que tem sido registrado nas mais recentes compras de usinas.

20170821 NC Fusoes e aquisicoes

Contudo, ainda se especula qual seria o valor ideal para adquirir uma usina hoje e quão vantajoso seria fechar negócio. Nesse sentido, ganhou repercussão a declaração do presidente do Conselho de Administração da Raízen, Rubens Ometto, de que hoje é possível comprar uma unidade já funcionando por US$ 40 ou 50 por tonelada – algo em torno de R$ 130 a R$ 162 reais.

"É muito mais barato comprar uma usina funcionando que investir em greenfield. Até que haja uma consolidação do setor, não vai haver greenfield" - Rubens Ometto (Raízen)

Questionado por jornalistas se os preços estão bons para aquisições, ele afirmou que sim, graças ao ambiente de crise do setor sucroalcooleiro.

A afirmação foi feita após a companhia, joint venture da Cosan e da Shell, ter apresentado uma proposta de 823 milhões de reais pelas usinas Santa Cândida e Paraíso, da Tonon Bioenergia, que está em recuperação judicial. A oferta foi considerada como vencedora pelos credores da companhia e já foi aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Aliás, essa não é a primeira vez que a Raízen participa de um leilão envolvendo usinas de grupos em recuperação judicial. No ano passado, a companhia perdeu o certame que envolveu ao todo cinco companhias na disputa da usina de Guararapes, controlada pela empresa local Unialco. A Raízen deu a segunda maior oferta no leilão, no valor de R$ 280 milhões. Nesta disputa, a Glencore foi a vencedora com uma oferta de R$ 350 milhões.

NEC2017 fusoes aquisicoes v2

A programação completa do NovaCana Ethanol Conference está disponível aqui e o cadastro para participar do evento pode ser feito aqui.

novaCana.com

Etanol e Cana direto em seu email

Antes de sair, cadastre-se para receber as principais notícias do setor
Obrigado, não quero ficar informado.
Esqueci minha senha close modal