Marcelo Odebrecht explica como exercia influência sobre Mantega para favorecer etanol

Um capítulo da delação premiada do ex-presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, à Operação Lava Jato trata da influência do empreiteiro junto ao ex-ministro Guido Mantega (Governo Dilma/Fazenda). O grupo empresarial liderado por ele teria gerado benefícios ao setor de etanol pela atuação de Marcelo Odebrecht. A questão já havia sido levantada no depoimento de Odebrecht ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), divulgado no início de abril.

Agora, o novo relato afirma que a Odebrecht teve participação na redução das alíquotas de PIS/Cofins aos produtores de etanol. Segundo o depoimento, Marcelo Odebrecht teria desaprovado uma versão preliminar do chamado “pacote de etanol”, ao qual teve acesso em reunião com Mantega. Então, ele teria feito a conexão entre o Ministério da Fazenda e a União das Indústrias de Cana-de-açúcar (Unica).

“Vamos supor que a Odebrecht não estivesse no setor do etanol. Provavelmente, por mais legítimo que tenha sido isso aqui, era capaz de sem o acesso que eu tinha a ele, isso aqui não ter saído”, Marcelo Odebrecht

“A gente criou uma relação onde eu tinha acesso a ele, ele atendia a algumas coisas e ele sabia que eu doava. Ao mesmo tempo, eu criava esse compromisso implícito. Esse é um exemplo de como funcionava o governo”, afirma e continua: “Esse acesso que eu tinha a ele era por quê? Porque ele sabia que eu era um grande doador. Se ele não começasse a resolver uma parte dos problemas que eu levava a ele, legítimos ou não, eu ia criar dificuldade na época de eleição. Eu era um dos maiores doadores, ele criaria um buraco para a campanha dela. Apesar de não ser uma coisa implícita, era como funciona a relação de um grande doador com uma pessoa do setor público”.

Marcelo Odebrecht envolve Unica em delação

Os depoimentos de Odebrecht, gravados em áudio e vídeo pela Procuradoria-Geral da República, compõem a base dos 76 inquéritos que o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, mandou abrir porque envolvem deputados, senadores, governadores, ministros e outros políticos que detêm foro privilegiado.

Outras investigações serão abertas em graus inferiores da Justiça – nestes casos, os investigados são ex-políticos ou agentes públicos que não desfrutam do foro especial.

Os vídeos da delação de Marcelo Odebrecht foram liberados pelo STF nesta quarta-feira, 12. Abaixo, assista ao trecho em que Marcelo Odebrecht explicita sua influência das decisões governamentais sobre o setor de etanol.

 

Com informações adicionais e edição novaCana.com

Etanol e Cana direto em seu email

Antes de sair, cadastre-se para receber as principais notícias do setor
Obrigado, não quero ficar informado.
Esqueci minha senha close modal