Preço nos postos: Valores médios do etanol e da gasolina seguem em queda

Com a segunda diminuição consecutiva nos preços, relação comercial se mantém em 72%

paridade 01 mini tabela 04.03a10.03Os destaques sobre o preço do etanol na semana de 4 a 10 de março:

  1. O preço do etanol nos postos aumentou em 14 estados e no DF, recuou em 11 e se manteve na Paraíba

  2. Preço da gasolina caiu 0,09%, enquanto o do etanol reduziu 0,13%

  3. Na média nacional, o preço do etanol correspondeu a 72% do valor de comercialização da gasolina, pior relação para o biocombustível desde abril de 2017

  4. Segue sendo vantajoso abastecer com etanol apenas em Mato Grosso e Goiás

  5. A cotação do biocombustível segue aumentando nas usinas do Mato Grosso e de Goiás, mas diminuiu nas de São Paulo



De acordo com uma pesquisa feita nas bombas de combustível do país, na semana de 4 a 10 de março, os preços do etanol e da gasolina tiveram a segunda redução consecutiva, mesmo que discreta. Os dados foram divulgados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Por mais que ainda seja desfavorável para o renovável de cana, a relação comercial entre os combustíveis se manteve entre as duas últimas semanas, graças aos números mais baixos nas bombas.

paridade 02 percentual estados 04.03a10.03

Na semana, o preço médio do etanol nos postos diminuiu mais uma vez, chegando a R$ 3,015, o valor mais baixo desde a última semana de janeiro. Em comparação à análise anterior, quando o preço foi R$ 3,019, a diminuição de 0,13% é menor que a de 0,26% da semana passada.

Já o valor médio da gasolina chegou a R$ 4,189 na última semana, contra R$ 4,193 da semana anterior, e passou a ser o segundo menor valor do ano. A redução de 0,09% foi menor que a do biocombustível e que a da semana anterior, quando foi de 0,38%.

Com essa maior redução para o etanol do que para a gasolina, a relação comercial entre os combustíveis se manteve em comparação à semana anterior.

Entre os dias 4 e 10 de março, o preço do etanol correspondeu a 72% do valor de comercialização da gasolina nas médias nacionais – superior à paridade comercialmente estabelecida em 70%.

Essa é a primeira vez, desde a primeira semana do ano, que o valor não aumenta. Ainda assim, a competitividade do biocombustível continua em risco, aproximando-se do recorde da última semana de abril de 2017.

Estados

Entre os dias 4 e 10 de março, o preço do biocombustível nos postos aumentou em 14 estados e no Distrito Federal, recuou em 11 e se manteve na Paraíba. Já o combustível fóssil teve seu preço valorizado em dez estados e recuou em outros 16 e no Distrito Federal.

Com essa diferença nas variações, o biocombustível permanece desvantajoso em quase todos os estados brasileiros.

As exceções são Mato Grosso e Goiás, os únicos estados onde os valores médios do etanol hidratado ainda são vantajosos nos postos. A dupla se mantém solitária pela nona semana consecutiva.

Gráficos avançados e filtros interativos sobre o comportamento dos preços estão disponíveis aqui (exclusivo assinantes).

O evolutivo dos preços de todos os estados desde 2001 pode ser acessado aqui.

paridade 03 comparativo estados 04.03a10.03

São Paulo

No maior estado produtor e consumidor de etanol do país, na semana de 4 a 10 de março, o indicador que mede a relação entre os valores dos combustíveis nas bombas aumentou pela primeira vez desde janeiro, chegando a 72,1%. O valor desse período é o maior desde março de 2017, quando chegou a 72,6%.

O aumento de 0,13% na relação entre os preços em relação à semana anterior se deve à maior diminuição nos valores médios da gasolina em comparação aos do etanol.

Enquanto o biocombustível passou de R$ 2,874/l para R$ 2,862/l na última semana, uma redução de 0,41%, o valor médio da gasolina passou de R$ 4,992/l para R$ 3,970/l entre as duas últimas análises, uma redução de 0,55%.

Mato Grosso

Já no estado onde o etanol hidratado é o mais competitivo, o biocombustível foi vendido, em média, por 60,7% do preço da gasolina, uma redução em relação às últimas semanas.

A relação comercial entre os combustíveis diminuiu 0,32% nas duas últimas semanas graças à variação nos preços. Enquanto o valor médio do etanol diminuiu 0,5% – passando de R$ 2,571/l para R$ 2,558/l –, o valor médio da gasolina nas bombas passou de R$ 4,221/l para R$ 4,217/l, uma redução de apenas 0,09%.

Goiás

Nos postos goianos, a competitividade do etanol se manteve, com seu preço correspondendo a 67,2% do preço da gasolina, seguindo em uma relação vantajosa para os consumidores.

Essa manutenção na competitividade se deve aos aumentos similares entre os dois combustíveis. Enquanto o preço médio do biocombustível nas bombas passou de R$ 2,959/l para R$ 2,961/l entre as duas últimas semanas, um acréscimo de 0,06%, o aumento da gasolina foi um pouco maior, de 0,09%, passando de de R$ 4,403/l para R$ 4,409/l.

paridade 04 tabela completa 04.03a10.03

Os preços do etanol e da gasolina por região, estado ou cidade desde 2001 estão disponíveis na planilha interativa (exclusivo para assinantes).

Usinas

Nas usinas, o preço do biocombustível aumentou em Mato Grosso e Goiás, mas não em São Paulo. O Indicador Cepea/Esalq do etanol hidratado no estado paulista mostra que sua cotação diminuiu 0,11% em relação à semana anterior, quebrando as altas consecutivas das últimas semanas, e acumulando uma alta de 27,2% nas últimas 25 análises.

Já em Mato Grosso, a alta na cotação do etanol hidratado já dura 19 semanas. Na última semana, a elevação do preço foi de 2,99%, número maior do que o das análises anteriores. No período acumulado, a valorização é de 22%.

Em Goiás, por sua vez, a cotação do etanol nas usinas apresentou um aumento de 0,74% nos preços, o menor das últimas análises. O acumulado nas últimas 27 semanas é de 34,5%.

Rafaella Coury - novaCana.com

Etanol e Cana direto em seu email

Antes de sair, cadastre-se para receber as principais notícias do setor
Obrigado, não quero ficar informado.
Esqueci minha senha close modal