Vallourec
Cana: Safra / Moagem

[Unica] Atualização quinzenal da safra 2018/19 - 1ª quinzena de maio

Com novo recorde, vendas de etanol hidratado seguem como destaque da safra de cana-de-açúcar no Centro-Sul


Unica - 24 mai 2018 - 11:05 - Última atualização em: 06 jun 2018 - 13:06

  1. Moagem quinzenal: A quantidade de cana processada no Centro-Sul atingiu 42,65 milhões de toneladas na primeira quinzena de maio de 2018. O resultado é 10,55% superior às 38,57 milhões registradas no mesmo período de 2017.

    quinzena 07 posicao acumulada 24.05.18BL quinzena 01 moagem 25.04
  2. Usinas em operação: Em relação ao número de usinas em operação, o valor totalizou 243 unidades operando no Centro-Sul até 15 de maio. Até esta mesma data do último ano, eram 250 plantas em safra.
  3. Produção quinzenal de etanol hidratado: Com 1,41 bilhão de litros, a produção de etanol hidratado é expressiva, especialmente considerando tratar-se do início da safra canavieira no Centro-Sul. Segundo a Unica, até hoje, apenas a última quinzena de agosto da safra 2010/11 registrou um volume superior, com 1,50 bilhão de litros fabricados.
  4. Mix de produção: O volume produzido de etanol decorre da maior moagem na quinzena e, principalmente, da mudança no mix de produção das unidades. Conforme a Unica, na primeira quinzena de maio 63,42% da cana processada destinou-se à fabricação de etanol, ante 53,19% computados em igual período da safra passada. “No acumulado desde o início da safra, 64,77% da cana foi direcionada à produção do renovável, confirmando a expectativa de mix de produção mais alcooleiro e de maior oferta de etanol no mercado doméstico”, ressalta Padua.
  5. Produção quinzenal de etanol anidro: A fabricação de etanol anidro, por sua vez, totalizou 657,30 milhões de litros na primeira quinzena de maio, com crescimento de 2,23% ante os 642,96 milhões de litros registrados no mesmo período de 2017.
    BL quinzena 02 etanol 25.04
  6. Produção quinzenal de açúcar: Na direção oposta, a produção de açúcar registrou sensível queda nos primeiros quinze dias de maio. A fabricação do produto totalizou 1,91 milhão de toneladas, com retração de quase 10% na comparação com as 2,12 milhões de toneladas produzidas no último ano.
    BL quinzena 03 acucar 25.04
  7. Moagem acumulada: No acumulado desde o início da safra 2018/2019 até 15 de maio, a moagem alcançou 102,52 milhões de toneladas, contra 80,52 milhões contabilizadas em igual período do ciclo anterior.

    quinzena 06 posicao acumulada 24.05.18
  8. Análise sobre o clima: Para o diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues, “o clima seco observado desde o início dessa safra tem favorecido a colheita da cana, mas deve impactar o rendimento da lavoura a ser colhida nos próximos meses.” Além disso, a falta de chuvas tem permitido uma retomada da qualidade da matéria-prima processada nas primeiras quinzenas do ano-safra, acrescentou.
  9. Evolução do ATR: A concentração de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de cana processada apresentou crescimento de 4,30% nos primeiros 15 dias de maio, alcançando 128,26 kg este ano contra 122,98 kg por tonelada verificados na mesma quinzena de 2017. No acumulado até 15 de maio, esse indicador registrou alta de 3,37%, atingindo 120,54 kg por tonelada.
    BL quinzena 04 ATR ton 25.04
  10. Produção acumulada de açúcar e etanol: No acumulado desde o início da safra até 15 de maio, a produção de açúcar atingiu 4,15 milhões de toneladas. Já o volume acumulado de etanol alcançou 4,81 bilhões de litros, sendo 1,24 bilhão de litros de anidro e 3,57 bilhões de litros de hidratado. No caso do hidratado, esse volume representa um incremento de 81,25% sobre o índice registrado no mesmo período do ciclo 2017/2018.
    BL quinzena 05 dados acumulados 25.04 V3
  11. Análise da produção acumulada: “Caso não tivesse ocorrido mudança no mix das usinas, a produção acumulada de açúcar já teria superado 5 milhões de toneladas. A retração de 49,12 kg de açúcar por tonelada de cana processada verificada na safra 2017/2018 para 40,46 kg nessa safra, permitiu uma redução próxima a 1 milhão de toneladas na fabricação acumulada de açúcar”, observa o diretor da Unica.
  12. Vendas de etanol: O volume total de etanol comercializado pelas unidades produtoras do Centro-Sul somou 1,13 bilhão de litros nos primeiros quinze dias de maio, crescimento de 17,00% em relação à mesma quinzena do ano anterior (969,40 milhões de litros).
  13. Crescimento das vendas de hidratado: Esse crescimento deve-se, mais uma vez, à expansão das vendas do hidratado no mercado doméstico que alcançaram 759,75 milhões de litros na primeira metade de maio, um novo recorde para os primeiros quinze dias de maio na série histórica. O volume representa também um aumento de 34,68% sobre o valor registrado em igual período de 2017 (564,09 milhões de litros).
  14. Competitividade nos postos: Esse resultado reflete, a exemplo das semanas anteriores, a maior competividade do biocombustível nos postos. Dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) mostram que em cinco Estados – São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Mato Grosso e Goiás –, abastecer com o etanol é economicamente vantajoso em comparação à gasolina. Estes Estados agregam cerca de 55% da frota nacional de veículos leves.
  15. Análise das vendas de hidratado: Para Antonio de Padua Rodrigues, diretor técnico da Unica, “nesse momento, o hidratado se consolida como opção mais barata que o derivado fóssil, além de ser um combustível limpo e renovável. Adicionalmente, o etanol anidro misturado à gasolina também tem atenuado os aumentos de preço da gasolina. Portanto, é fundamental que qualquer alteração de tributos sobre a gasolina também seja realizada de forma proporcional para o etanol, garantindo que a competitividade do renovável não se altere.”
  16. Vendas de anidro: Em relação ao anidro, o volume comercializado no mercado doméstico alcançou 327,29 milhões de litros na primeira quinzena de maio. Esse montante é superior aos 282,62 milhões vendidos na quinzena anterior, mas 9,87% aquém da quantidade comercializada na mesma quinzena de 2017.
  17. Análise das vendas de anidro: “O menor volume de anidro comercializado pelas usinas decorre, em grande medida, das importações do produto em abril, dos estoques mais elevados nas distribuições e do menor crescimento da demanda por combustíveis leves no último mês”, explica Padua.
  18. Exportações de etanol: Por fim, as exportações de etanol pelas empresas do Centro-Sul somaram apenas 47,13 milhões de litros na primeira quinzena de maio, sendo praticamente todo o montante de etanol anidro (46,76 milhões de litros).

Mais informações

exclusivo assinantes

O texto completo desta página
está disponível apenas aos assinantes do site

veja como é fácil e rápido assinar