[Unica] Atualização quinzenal da safra 2018/19 - 2ª quinzena de abril

Com produção recorde na 2ª quinzena de abril, etanol hidratado segue mais competitivo

  1. Moagem quinzenal: A moagem de cana-de-açúcar pelas unidades produtoras do Centro-Sul atingiu 37,68 milhões de toneladas na segunda metade de abril, 55,3% acima do valor registrado no mesmo período de 2017 (24,26 milhões de toneladas).

    quinzena 06 posicao acumulada 10.05.18
    BL quinzena 01 moagem 25.04
  2. Produção quinzenal de etanol hidratado: O destaque coube, sem dúvida, ao etanol hidratado. Nos 15 últimos dias de abril, sua produção foi recorde: 1,30 bilhão de litros, superando, inclusive, volumes produzidos no pico da safra em anos anteriores. Segundo Antonio de Padua Rodrigues, diretor Técnico da União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), “essa é a maior produção do renovável desde a 2ª quinzena de agosto da safra 2015/2016, período de máximo processamento da cana no Centro-Sul”. Ainda, desde o ciclo 2010/2011, apenas três quinzenas apresentaram produções dessa grandeza, acrescentou.
  3. Produção quinzenal de etanol anidro: Nesse período, o volume de etanol anidro fabricado alcançou 429,88 milhões de litros, com crescimento de 28,78% na comparação com os 333,81 milhões produzidos na segunda quinzena de abril na safra passada.

    BL quinzena 02 etanol 25.04
  4. Etanol de milho: Os volumes produzidos incorporam também a fabricação do renovável a partir do milho, que somou 32,04 milhões de litros naquela quinzena. Deste valor, 7,92 milhões de litros referem-se ao anidro e 24,12 milhões ao hidratado.
  5. Mix das usinas e produção quinzenal de açúcar: Esse movimento de ampliação da fabricação de etanol reflete a menor proporção de cana direcionada à produção de açúcar. Na segunda metade de abril deste ano, apenas 35,78% da cana foi utilizada para açúcar, contra 43,06% verificados no mesmo período da safra 2017/2018. Com isso, a produção de açúcar nos últimos quinze dias de abril atingiu 1,52 milhão de toneladas.

    BL quinzena 03 acucar 25.04
  6. Queda na produção quinzenal de açúcar: Padua acrescenta que “apesar da melhor qualidade de cana registrada na segunda quinzena de abril, a produção de açúcar por tonelada de cana permaneceu 13,19% abaixo do índice registrado no mesmo período da safra passada: 40,51 kg de açúcar por tonelada de cana nesse ano contra 46,67 kg verificados em 2017”. Essa condição deriva da menor receita obtida com a venda do produto nesse momento e reflete a expectativa de uma safra 2018/2019 menos açucareira, concluiu o executivo.
  7. Moagem acumulada: No acumulado desde o início da safra 2018/2019 até 30 de abril, a moagem de cana somou 59,84 milhões de toneladas, contra 41,95 milhões no ciclo passado.

    quinzena 07 posicao acumulada 10.05.18
  8. Produção acumulada de açúcar e etanol: No período, foram produzidas 2,24 milhões de toneladas de açúcar, 566,76 milhões de litros de etanol anidro e 2,15 bilhões de litros de hidratado – quase o dobro do apurado na safra 2017/2018.

    BL quinzena 05 dados acumulados 25.04 V3
  9. Análise sobre a queda na produção de açúcar: “Os números de produção acumulada também retratam a mudança de mix observada nesse início da safra. A partir de uma extrapolação simples desses valores, é possível concluir que uma eventual manutenção da redução de 14,74% na quantidade de quilos de açúcar produzidos por tonelada de cana processada registrada até agora promoveria uma retração em torno de 5 milhões de toneladas na fabricação de açúcar ao final da safra 2018/2019, apenas pelo efeito de alteração no mix de produção”, explicou Padua.
  10. Produtividade agrícola: Dados preliminares apurados pelo Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) a partir de uma amostra de 85 empresas apontam para um aumento de 4,28% na produtividade agrícola da área colhida em abril de 2018 comparativamente com o mesmo mês do último ano (80,05 toneladas de cana por hectare, ante 76,77 toneladas por hectare em abril de 2017).
  11. Análise da produtividade agrícola: “Esse resultado positivo deve ser analisado com cautela, pois não retrata a expectativa de quebra agrícola decorrente da estiagem observada na maior parte da região produtora. O crescimento da planta foi severamente prejudicado nesse período de seca e esperamos que a produtividade nos próximos meses apresente retração significativa, podendo variar de -2% a -15% dependendo da região”, alerta o executivo da Unica.
  12. ATR: Na segunda quinzena da safra 2018/19, o teor de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de matéria-prima alcançou 118,85 kg (crescimento anual de 4,47%), totalizando 4,48 milhões de toneladas (+62,26%). Na média da safra, o indicador é de 114,50 kg/t (+3,38%), alcançado um total de 6,85 milhões de toneladas (+47,49).

    BL quinzena 04 ATR ton 25.04
  13. Comercialização de etanol: As vendas de etanol pelas unidades produtoras do Centro-Sul em abril somaram 1,91 bilhão de litros (com apenas 47,93 milhões exportados). Esse valor representa um crescimento de 10,05% comparativamente ao mesmo período do ano anterior (1,73 bilhão de litros).
  14. Vendas de etanol hidratado: Este aumento se deve a ampliação do volume de etanol hidratado comercializado no mercado doméstico, o qual somou expressivos 1,33 bilhão de litros. O valor é 38,40% superior ao apurado em abril de 2017 (961,98 milhões de litros).
  15. Preço nos postos: Essa intensa expansão das vendas do biocombustível reflete a sua maior competitividade frente à gasolina. Dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) analisados pela Unica mostram que em Goiás, Minas Gerais e São Paulo e Paraná, Estados que juntos concentram cerca de 50% da frota brasileira de veículos leves, a paridade esteve próxima ou foi inferior a 70% desde a 2ª quinzena de abril. No Estado de São Paulo, por exemplo, a paridade média que era de 72% no início daquele mês, caiu para 66,3% na primeira semana de maio. Além disso, os números indicam que 82% dos municípios paulistas, incluindo a capital, apresentaram hidratado mais competitivo nas bombas em relação à gasolina na última semana.
  16. Análise da competitividade do etanol: “Além de oferecer ao consumidor uma opção de combustível mais barata nesse momento, a presença do etanol contribui decisivamente para a estabilidade dos preços da gasolina frente a recente alta nas cotações do petróleo e a desvalorização do Real. Esse efeito é dado pelo menor preço do etanol anidro misturado na gasolina comercializada no país”, afirmou o executivo da Unica.
  17. Impacto do etanol anidro no preço da gasolina: Com efeito, o custo do etanol anidro na composição do preço da gasolina ao consumidor caiu R$ 0,08 por litro nos últimos dois meses, contrapondo o aumento de quase R$ 0,20/litro no valor da gasolina pura vendida pelas refinarias.
  18. Vendas de etanol anidro: Assim, as vendas internas de etanol anidro pelas unidades do Centro-Sul totalizaram 526,97 milhões de litros em abril de 2018, contra 661,27 milhões no último ano. Essa redução de 20,31% é consequência do elevado volume de etanol anidro importado nos meses de março e abril, que totaliza 709,14 milhões de litros de acordo com os dados publicados pelo Secretaria do Comércio Exterior (SECEX), e da redução dos estoques pelas distribuidoras.

Mais informações

O texto acima é apenas uma breve introdução. Para ver esta página completa clique aqui e assine.

exclusivo assinantes

O texto completo desta página
está disponível apenas aos assinantes do site

veja como é fácil e rápido assinar

Etanol e Cana direto em seu email

Antes de sair, cadastre-se para receber as principais notícias do setor
Obrigado, não quero ficar informado.
Esqueci minha senha close modal