Falta de chuva nas principais regiões produtoras influenciou estimativas, que agora estão ainda mais cautelosas

novaCana.com 31 jul 2018 - 13:07 - Última atualização em: 02 ago 2018 - 12:08

A safra de cana-de-açúcar do Centro-Sul já completou três meses e quase todos os relatórios de acompanhamento divulgadas pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) demonstraram um aumento na moagem em comparação ao mesmo período do ano passado.

Uma entressafra positiva e um clima favorável, somados a um bom número de usinas em funcionamento, fizeram com que houvesse bastante cana disponível. O direcionamento dessa matéria-prima foi focado na produção de etanol, com ênfase no hidratado, conforme mostram os relatórios quinzenais.

Ainda assim, o clima que facilitou a colheita não é bom para o rendimento futuro da temporada e a perspectiva para os próximos meses não é positiva. Para o diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues, “o clima seco observado desde o início da safra tem favorecido a colheita da cana, mas deve impactar o rendimento da lavoura a ser colhida nos próximos meses”.

O mais recente levantamento realizado pelo novaCana, finalizado em 25 de julho, traz as estimativas de 18 consultorias e empresas especializadas para o resultado da safra 2018/19 e, em comparação com a sondagem feita no início da temporada, o novo cenário é ainda mais cauteloso.

O levantamento do novaCana ainda reuniu projeções para quantidade total de ATR, qualidade da cana, mix de produção das usinas e produção de açúcar e etanol. Ao todo, são apresentados 10 gráficos e tabelas comparativas.

Um novo gráfico foi desenvolvido para esta reportagem especial, mostrando como as estimativas de cada empresa especializada evoluiu, da primeira previsão até a mais atualizada.

exclusivo assinantes

O texto completo desta página
está disponível apenas aos assinantes do site

veja como é fácil e rápido assinar