Sem consenso, 12 instituições apresentam suas apostas para a safra 2017/18 de cana

No final do ano passado todos concordavam que a produção de cana em 2017 seria menor que em 2016, devido, principalmente, à insuficiente renovação dos canaviais e as adversidades climáticas que afetaram os canaviais. Porém, agora, as projeções mais recentes para a safra 2017/18, que tem início em abril, mostram que os analistas estão divididos. Enquanto alguns acreditam em crescimento da moagem, outros não projetam avanço relevante.

Ainda assim, o otimismo aumentou, mas a harmonia inicial das empresas que já arriscaram seus palpites se desmanchou. O bom clima experimentado nas lavouras no último mês fortaleceu as divergências e incertezas destacadas no passado.

O novaCana obteve as apostas de 12 instituições sobre os resultados para a próxima safra, além de comentários que embasaram as expectativas. O texto e a sequência de gráficos a seguir apresentam as opiniões para a safra 2017/18 sobre:

- Fatores de influência determinantes

- Moagem de cana

- Produção de açúcar

- Produção de etanol total, anidro e hidratado

- Mix de produção

- Total de ATR por tonelada

- Total de ATR da safra

“Não é a primeira safra em que a chuva foi boa em janeiro. Em outros anos, foi registrado esse índice pluviométrico e depois houve seca e o desenvolvimento dos canaviais decepcionou” FG/A

O texto acima é apenas uma breve introdução. Para ver esta página completa clique aqui e assine.

exclusivo assinantes

O texto completo desta página
está disponível apenas aos assinantes do site

veja como é fácil e rápido assinar

Etanol e Cana direto em seu email

Antes de sair, cadastre-se para receber as principais notícias do setor
Obrigado, não quero ficar informado.
Esqueci minha senha close modal