Preço médio mensal do açúcar refinado em julho é o menor em quase uma década, diz ISO

Os preços do açúcar no mercado internacional voltaram a cair em julho, de acordo com levantamento apresentado pela Organização Internacional do Açúcar (ISO, na sigla em inglês).

Conforme relatório mensal divulgado nesta terça-feira, 7, pela entidade, a cotação do açúcar refinado spot (Índice de Preços ISO) caiu de US$ 335,60 por tonelada em 2 de julho para US$ 316,86 por tonelada no fim do mês.

Com isso, a média mensal calculada pela instituição foi de US$ 326,91 por tonelada. "Este é o menor preço mensal por quase uma década, desde dezembro de 2008", comparou OIA.

A organização também registrou que o açúcar bruto à vista (preço diário ISA) começou o mês passado cotado a 12,11 centavos de dólar por libra-peso, mas chegou a 11,24 centavos de dólar por libra-peso em 31 de julho. Dessa forma, a média mensal caiu para 11,72 centavos de dólar por libra-peso, a menor marca desde agosto de 2015.

"Após dois meses, a tendência de baixa dos preços reapareceu em julho", constatou a instituição, que tem sede em Londres, por meio do relatório. "O período de consolidação de preços verificado pelo mercado em maio e junho mostrou-se de curta duração", continuou.

Segundo o documento, a tendência de baixa dos valores do mercado mundial reapareceu devido a fundamentos globais, que contam com superávit da produção da commodity.

A ISO informou que planeja publicar sua primeira previsão completa para o balanço mundial do açúcar em 2018/19 (de outubro de um ano a setembro de outra) na última semana de agosto.

Célia Froufe

Etanol e Cana direto em seu email

Antes de sair, cadastre-se para receber as principais notícias do setor
Obrigado, não quero ficar informado.
Esqueci minha senha close modal