116 fotos da 1ª usina de etanol celulósico do Brasil: 85% concluída

A primeira usina de etanol de segunda geração (2G) do Brasil está em fase final de construção. Em um ano de obra, a usina da GranBio no município de São Miguel dos Campos, em Alagoas, está a 15% da conclusão do projeto.

O site norte-americano Biofuels Digest revelou que 85% do trabalho para instalação da unidade já foi feito, conforme informação do diretor da GranBio nos Estados Unidos, Vonnie Estes. A afirmação pode ser conferida nas 116 fotografias que indicam o avançado estágio do projeto.

As imagens registradas há dois meses mostram um já bem estruturado parque industrial, no campo grandes quantidades de biomassa enfardada, além de testes com mudas pré-brotadas e novas variedades de cana na estação de pesquisa.

Para quem acompanha os projetos de segunda geração pelo mundo, impressiona a velocidade com que o empreendimento se desenvolve. O início das operações é esperado para o primeiro trimestre deste ano.


Certificação das instalações para levedura transgênica

A GranBio obteve na última sexta-feira (17) o Certificado de Qualidade em Biossegurança (CQB) para a Bioflex, o nome da unidade em Alagoas. A habilitação emitida pela Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) atesta que são adequadas as instalações em que microrganismos geneticamente modificados serão utilizados, nesse caso, a levedura transgênica que será responsável pela fermentação dos açúcares celulósicos. O uso da levedura, desenvolvida pela DSM, também já foi liberado.

Esta é a segunda certificação do gênero obtida pela empresa junto a CTNBio. O primeiro foi para o centro de pesquisa em biotecnologia, a BioCelere, localizado em Campinas. Cada certificado está relacionado à existência de uma Comissão Interna de Biossegurança (CBIO).

novaCana.com
Fotos de Jonne Roriz