Brasil sustentável: perspectivas dos mercados de petróleo, etanol e gás

A sétima edição da série Brasil Sustentável, intitulada "Perspectivas dos mercados de petróleo, etanol e gás", traz uma análise aprofundada e projeções densas sobre a formação de preços, demanda, oferta, crescimento e impacto da indústria de combustíveis na economia mundial até o ano de 2020.

O objetivo é mergulhar no entendimento de uma indústria geradora de grandes riquezas aos países detentores das maiores reservas, produção, tecnologia e política estratégica ao seu desenvolvimento, indo além de projetar qual o cenário que o final desta década nos reserva e servindo de apoio para o entendimento, a reflexão e a tomada de decisão para empresas e governos que queiram atuar com seriedade nesses mercados.

Um dos objetivos deste estudo foi compreender não somente as dinâmicas de preços mundiais, como também o comportamento dos mercados nacionais cujas interações estruturam a oferta e a demanda global por energéticos. Assim, selecionamos dois mercados nacionais, mas cujas dinâmicas não poderiam ser mais diferentes entre si: os EUA, uma economia relativamente aberta, onde os preços ao consumidor seguem as trajetórias dos mercados internacionais de commodities; e o Brasil, no qual os preços dos combustíveis seguem uma lógica determinada mais por políticas internas do que pela conjuntura internacional.

A outra intenção foi iluminar as interações entre os mercados de diferentes energéticos, tendo em vista efeitos de substituição e complementaridade. Assim, optamos por focar nos mercados internacionais de petróleo e etanol, e nos mercados brasileiros de gasolina e etanol hidratado, de forma a identificar e modelar com maior profundidade os pontos de contato e efeitos cruzados entre mercados.

Finalmente, outra meta deste trabalho foi identificar alguns dos principais drivers ou condicionantes das trajetórias futuras de preços dos energéticos em questão e modelar as estruturas causais de acordo com as quais os cenários prospectados para tais drivers se refletem nas projeções de preços. Esses drivers perpassam por aspectos técnicos (ampliação da oferta física), mercadológicos (medidas de eficiência e substituição energética), econômicos (potencial de crescimento e cenário cambial) e político-institucionais (políticas energéticas nos EUA e Brasil). Em um contexto de incerteza, pudemos ainda identificar os drivers cuja variabilidade terá mais impacto para cada um dos mercados analisados.

Esta imersão resultou profundo conhecimento sobre essa indústria e algumas surpresas em relação ao real efeito que as descobertas do pré-sal trarão sobre o conjunto da economia do País. Ou sobre quão atrasados (ou não) estamos em relação à prática e ao investimento na ampliação da produção e comercialização do etanol.

Fonte: Ernst & Young e FGV Projetos (coordenador Fernando Blumenschein)

Etanol e Cana direto em seu email

Antes de sair, cadastre-se para receber as principais notícias do setor
Obrigado, não quero ficar informado.
Esqueci minha senha close modal